Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1137773
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorASSUNÇÃO, R. M.
dc.date.accessioned2021-12-15T10:42:27Z-
dc.date.available2021-12-15T10:42:27Z-
dc.date.created2021-12-14
dc.date.issued2021
dc.identifier.citation2021.
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1137773-
dc.descriptionA estrutura da paisagem (e.g. presença de remanescentes de vegetação natural) e a disponibilidade local de recursos florais (e.g. plantas floridas nas propriedades rurais) podem modular a diversidade de abelhas e suas interações ecológicas em agroecossistemas. Por isso, a teoria prevê que há fatores em diferentes escalas espaciais interagindo na manutenção da biodiversidade. Isso pode ser especialmente importante ao considerar espécies que provêm serviços ecossistêmicos relevantes como as abelhas. Dessa forma, avaliamos como fatores diferentes escalas espaciais (dentro da propriedade e na paisagem circunvizinha), influenciam a comunidade de abelhas visitantes florais do tomateiro em propriedades de agricultura orgânica no Cerrado, entre 2019 e 2020. Também avaliamos a estrutura da rede de interações entre tomateiro, plantas espontâneas e abelhas e como a rede responde a cenários distintos de perda de espécies. Observamos que a diversidade da paisagem pode favorecer as abelhas quando os remanescentes de vegetação natural da paisagem não estão muito fragmentados. Esses remanescentes naturais podem funcionar como um banco de espécies de abelhas que podem colonizar diferentes habitats na paisagem. Além disso, observamos que as plantas espontâneas podem favorecer a permeabilidade dos agroecossistemas para as abelhas porque fornecem recursos florais adicionais e heterogêneos. A rede de interações apresentou estrutura modular, indicando a partição espacial do habitat por abelhas com uma baixa sobreposição no uso de recursos mediada pelas plantas espontâneas. Com os cenários de extinção, identificamos que algumas plantas espontâneas conectoras desempenham um papel central na estabilidade da rede de interações. Concluímos que avaliar as múltiplas escalas espaciais e as redes de interações planta-abelha é fundamental para traçar estratégias que tornem os agroecossistemas tropicais mais permeáveis e funcionais à diversidade de abelhas e o serviço de polinização prestado por elas.
dc.languagePortugues
dc.language.isopt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectPaisagem
dc.subjectPlanta espontânea
dc.subjectRede modular
dc.subjectPlanta daninha
dc.subjectLandscape
dc.subjectNon-crop plant
dc.subjectModular network
dc.subjectWeeds plats
dc.titleInterações ecológicas planta-abelha em agroecossistemas orgânicos em diferentes escalas espaciais.
dc.typeTeses
dc.subject.thesagroCerrado
dc.description.notesDissertação (Mestrado em Ecologia)- Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Brasília, DF. Orientador: Prof. Dr. Pedro Henrique Brum Togni; coorientadora: Carmen Silvia Soares Pires Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.
Appears in Collections:Tese/dissertação (CENARGEN)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2021-RafaelaMendesAssuncao.pdf1,54 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace