Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/900366
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia - Tese/dissertação (ALICE)
Date Issued: 2011
Type of Material: Tese/dissertação (ALICE)
Authors: LOPES, R. M.
Additional Information: RENATA MIRANDA LOPES.
Title: Determinação de resveratrol em folhas de amendoim silvestre (Arachis sp.).
Publisher: 2011.
Pages: 104 f.
Language: pt_BR
Notes: Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, DF. Orientadora: Dâmaris Silveira, UNB; co-orientadora: Tânia da Silveira Agostini Costa, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.
Keywords: Arachis silvestres
CLAE
Metodologia analítica.
Description: O resveratrol é um dos principais compostos bioativos do amendoim (Arachis hypogaea L, Fabaceae), presente também na uva e no vinho, e é associado à redução do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e câncer destes alimentos. Neste trabalho foi realizada a determinação de trans-resveratrol em folhas de espécies silvestres desse gênero por CLAE. O estudo para definição e validação da metodologia envolveu a avaliação do solvente de extração, a técnica de preparação da amostra para análise e o método analítico. Após a padronização da metodologia, foi realizada a determinação de resveratrol em folhas de dez espécies silvestres de Arachis, estressadas por radiação Uv. As espécies estudadas foram A. kuhlmannií, A. cardenasií, A. duranensis, A. cruziana, A. gregoryii, A. batizocoi, A. simpsonii, A. ipãensis e A. kempff-mercado,utilizando A. hypogaea, como referência. Os extratos foram obtidos utilizando EtOH 80% como solvente e posteriormente foram submetidos a extração liquido-líquido para eliminação de pigmentos e outros interferentes. A análise por CLAE foi realizada com coluna Zorbax XDB Agilent (250 mm x 4,6 mm, 5 IJm), com gradiente de eluição, acetonitrila:ácido fosfórico 0,02%. O método apresentou linearidade entre 5,75 e 217,6 IJg/mL, coeficiente de correlação (r2 0,9998) e repetibilidade de 1,18% (a 23 IJg/mL). Todas as espécies do estudo expressaram resveratrol após a indução com UV e nenhuma apresentou teor de resveratrol significativamente mais elevado do que a espécie cultivada A. hypogaea. Contudo na análise de cluster as espécies A. kuhlmannií, A. cardenasíi, A. duranensis, foram agrupadas no grupo de maior teor de resveratrol juntamente com a espécie cultivada. Os teores médios de resveratrol observados foram 808,75 ± 177,6 1J9/g para A. kuhlmannii, 752,24 ± 305,4 1J9/g para A. cardenasií, 639,93 ± 224,7 1J9/g para A. duranensis, 564,67 ± 205,1 IJg/g para A. cruziana, 524,54 ± 131,1 1J9/g para A. batizocoi, 484,77 ± 167,8 1J9/g para A. magna, 370,14 ± 103,7 1J9/g para A. gregoryíi, 318,37 ± 146,9 IJg/g para A. simpsonii, 314,07 ± 76,8 IJglg para A. ipãensis e 299,49 ± 89,1 1J9/g para A. kempff-mercadoi. Os resultados obtidos nesse trabalho sugerem que é possível agregar valor às folhas de amendoim, utilizando-as para a extração de resveratrol, após o processo de indução por radiação ultravioleta. Considerando as várias atividades biológicas do resveratrol e sua ampla utilização nas indústrias farmacêutica, cosmética e de suplementos alimentares, a utilização de folhas de amendoim pode constituir-se em um novo nicho nesse mercado.
Thesagro: Amendoim
NAL Thesaurus: resveratrol.
Data Created: 2011-09-14
Appears in Collections:Tese/dissertação (CENARGEN)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DeterminacaoderesveratrolemfolhasdeamendoimsilvestreArachissp...pdf2,27 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace