Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1005728
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Mandioca e Fruticultura - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 15-Jan-2015
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: CARVALHO, G. C. de
COELHO, E. F.
Informaçães Adicionais: GIAN CARLO DE CARVALHO, UFRPE; EUGENIO FERREIRA COELHO, CNPMF.
Título: Determinação do posicionamento de sensores de água do solo em mamoeiro irrigado por microaspersão e gotejamento.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: Magistra, Cruz das Almas - BA, V. 26, n.3, p. 286 - 295, Jul./Set. 2014.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: Um dos grandes problemas enfrentados quando se utiliza sensores para determinar o momento e a quantidade de água a aplicar no solo é a definição da localização e do número de sensores, que são dependentes da variabilidade espacial do solo. O trabalho objetivou avaliar a distribuição da água disponível, a extração total de água no volume molhado do solo e definir a melhor localização dos sensores para monitoramento da umidade ou tensão da água no solo, para o mamoeiro cultivar Sunrise Solo irrigado por sistemas de irrigação por gotejamento e microaspersão, em solos dos tabuleiros costeiros. Quatro tratamentos foram avaliados: T1 - Gotejamento com quatro emissores de 4 L.h-1 por planta, em uma lateral por fileira de plantas; T2 - Gotejamento com oito emissores de 4 L.h-1 por planta, em duas laterais por fileira de plantas (quatro emissores de cada lado da planta); T3 - microaspersão com um emissor de 32 L.h-1 para quatro plantas; T4 - microaspersão com um emissor de 43 L.h-1 para quatro plantas. O monitoramento de água no solo foi feito em uma planta por tratamento, na qual foi aberta uma trincheira longitudinalmente à fileira de plantas nos tratamentos irrigados por gotejamento e radialmente à planta nos tratamentos irrigados por microaspersão. Foram avaliadas a distribuição de umidade e água disponível numa malha de 0,25 x 0,20 m limitada pela profundidade de 0,80 m e distancia da planta de 1,0 a 1,2 m. A extração total de água foi computada pela diferença entre as umidades em diferentes tempos em cada ponto da malha. Os resultados indicaram que as áreas de maior extração no perfil do solo tanto para o sistema de irrigação por microaspersão como de gotejamento foram influenciadas pelas zonas de maior disponibilidade de água. O posicionamento de sensores de umidade do solo e de tensiômetros varia de acordo com sistema de irrigação utilizado.
Thesagro: Irrigação
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPMF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Determinacaodoposicionamento0311412.pdf460,87 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace