Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1006364
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Agrossilvipastoril - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 21-Jan-2015
Tipo do Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: CUNHA, A. F. A.
BALDONI, A. B.
TONINI, H.
TARDIN, F. D.
COSTA, L. O. S. T.
POSPIECHA, R.
OLIVEIRA, R.
Informaçães Adicionais: ANA FLAVIA APARECIDA CUNHA, UFMT; AISY BOTEGA BALDONI TARDIN, CPAMT; HELIO TONINI, CPAMT; FLAVIO DESSAUNE TARDIN, CNPMS; LUIS OTAVIO SA TELES COSTA, UFMT; RODRIGO POSPIECHA, UFMT; ROSANE OLIVEIRA, UFMT.
Título: Variações no teor de umidade e caracterização de sementes e frutos de castanheira-do-brasil em itaúba, mato grosso
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: IN: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 23., 2014, Cuiabá. Fruticultura: oportunidades e desafios para o Brasil. Cuiabá: SBF, 2014. 1 CD-ROM.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: A castanheira-do-brasil (Bertholletia excelsa) pertence à família Lecythidaceae, é uma espécie florestal muito importante de exploração extrativista, possuindo sementes com alto valor nutricional e comercial e com variadas aplicações e mercado consumidor (MULLER et al., 1995). A castanheira é uma árvore de grande porte, podendo atingir 50 m de altura. Possui tronco retilíneo, cilíndrico e não possui galhos até a copa. Seu fruto é um pixídio lenhoso, que acomoda entre 10 à 25 amêndoas (sementes). Seu florescimento é anual e seus frutos desenvolvem-se no tempo de 14 a 15 meses, porém há uma carência de estudos que comprovem o real tempo de formação. A queda dos frutos geralmente acontece de outubro a fevereiro, dependendo da região, podendo ocorrer quedas tardias no mês de março (BORÉM et al.,2009). Um dos grandes problemas da exploração extrativista da castanha-do-brasil está no sistema de coleta empregado, devido às questões de contaminação por bactérias e fungos, principalmente os produtores de aflatoxina (BORÉM et al.,2009). Após a coleta, os ouriços muitas vezes são armazenados de forma indevida, sendo depositados em locais descobertos e em contado direto com o solo, propiciando a entrada de água no fruto. Dessa forma, o teor de umidade presente no fruto é elevado, beneficiando o desenvolvimento dos microrganismos e prejudicando a qualidade das sementes (SOUZA et al., 2004). O objetivo deste trabalho foi caracterizar frutos e sementes de castanheira-do-brasil coletados em floresta nativa no município de Itaúba, Mato Grosso, e quantificar a umidade destes no momento da coleta.
Thesagro: Castanha
Umidade
Semente florestal
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Artigo em anais de congresso (CPAMT)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
cpamt2014baldoniteorumidadesementecastanhadobrasilmt.pdf238,02 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace