Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1006488
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Agrossilvipastoril - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 22-Jan-2015
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: WRUCK, D. S. M.
RAMOS JUNIOR, E. U.
TARDIN, F. D.
WRUCK, F. J.
DOLIVEIRA, P. S.
IKEDA, F. S.
HENNING, A. A.
Informaçães Adicionais: DULANDULA SILVA MIGUEL WRUCK, CPAMT; EDISON ULISSES RAMOS JUNIOR, CNPSO; FLAVIO DESSAUNE TARDIN, CNPMS; FLAVIO JESUS WRUCK, CNPAF; PERSIO SANDIR DOLIVEIRA, CNPGL; FERNANDA SATIE IKEDA, CPAMT; ADEMIR ASSIS HENNING, CNPSO.
Título: Manejo da adubação potássica na incidência da antracnose na cultura da soja, safra 2012/2013.
Edição: 2014
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FITOPATOLOGIA, 47.; SIMPÓSIO BRASILEIRO DO MOFO BRANCO, 1., 2014, Londrina. Anais... Londrina: Sociedade Brasileira de Fitopatologia, 2014.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: A antracnose, causada por Colletotrichum truncatum, é uma das principais doenças da soja. O objetivo desse trabalho foi avaliar diferentes doses de adubação potássica sobre a incidência da doença, em Sorriso/MT. O delineamento experimental foi blocos ao acaso com 6 tratamentos: 1- Adubação fixa no sulco de semeadura 350 kg/ha NPK; 2- Adubação fixa no sulco de plantio + pulverização com fungicida em V9/R1 e R.4/R5.1; 3- Adubação fixa no sulco de semeadura + 1 adubação de cobertura em V2 com 150 Kg/ha de KCl; 4- Adubação fixa no sulco de semeadura + 2 adubações de cobertura com 75 Kg/ha KCl em V2 e em V9; 5- Adubação fixa no sulco de semeadura + 3 adubações foliares com 50 Kg/ha KCl em V2, V9 e em R1; e 6 - Testemunha -lavoura comercial, e 4 repetições. Cada parcela foi constituída por 8 linhas de plantio, medindo 10 m espaçadas de 0,5 m. Foram avaliados a incidência da doença nas vagens; análise de sanidade dos grãos e produtividade. Foi utilizado o teste de Tukey a 5% de significância. Na avaliação de percentagem de antracnose nas vagens, o tratamento 1 apresentou maior percentagem da doença em relação ao tratamento 6 e este não diferiu dos demais tratamentos. Na análise de sanidade de grãos, na avaliação de Colletotrichum sp, verificou-se que o tratamento 1 apresentou percentual maior do patógeno em relação aos tratamentos 2, 3, 4 e 5 e não diferiu do tratamento 6. Não houve diferença significativa em produtividade entre os tratamentos.
Thesagro: Soja
Antracnose
Adubação
Ano de Publicação: 2014
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CPAMT)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
cpamt2014wruckadubacaopotassicaantracnosesojamt.pdf50,69 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace