Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1067321
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amapá - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2017
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: VASCONCELOS, H. C. G.
SALOMÃO, D. C. O.
SÁ-OLIVEIRA, J. C.
TAVARES-DIAS, M.
Additional Information: MARCOS TAVARES-DIAS, CPAF-AP.
Title: Aspectos do parasitismo de Excorallana berbicensis Boone, 1918 (Isopoda, Corallanidae) em Ageneiosus ucayalensis Castelnal, 1855 (Siluriformes, Auchenipteridae) do reservatório da UHE Coaracy Nunes, Rio Araguari, Amapá, Brasil.
Publisher: In: ENCONTRO BRASILEIRO DE ICTIOLOGIA, 22., 2017, Porto Seguro. Conservação, demandas sociais e desenvolvimento econômico: conflitos ou oportunidades para a ictologia ?: anais. Porto Seguro: Universidade Federal do Sul da Bahia; São Paulo: Sociedade Brasileira de Ictiologia, 2017.
Language: pt_BR
Notes: Resumo 61-1.
Keywords: Sanidade.
Parasito animal
Description: Os parasitos trazem implicações negativas sobre seus hospedeiros, refletindo-se principalmente na diminuição do seu grau de higidez. O fator de condição é um indicador quantitativo da higidez dos peixes e importante ferramenta para o estudo da relação parasito-hospedeiro. O objetivo do estudo foi avaliar a relação parasito-hospedeiro por meio da higidez de Ageneiosus ucayalensis parasitado por Excorallana berbicensis. Os espécimes de A. ucayalensis (16,3 ± 2,8 cm e 39,7 ± 18,3 g) foram capturados bimestralmente, entre outubro de 2012 e agosto de 2013, em seis pontos distribuídos no reservatório da UHE Coaracy Nunes (00º54'11.8"N e 051º15'35.5"W), Rio Araguari. Para a pesca foram utilizadas redes de espera simples de diferentes malhas (20 a 60 mm entre nós opostos), com 12 horas de permanência e vistorias a cada duas horas. De cada peixe-hospedeiro foi mensurado o Comprimento Padrão (Cp), em centímetros, e o Peso total (Pt), em gramas. A boca, câmara branquial, tegumento e nadadeiras de cada peixe foi examinada imediatamente após a captura, para verificar a presença de E. berbicensis, já contados e separados por sexo. Os valores de peso e comprimento corporal de cada indivíduo foram utilizados para traçar a curva da relação peso x comprimento de peixes parasitados e não parasitados separadamente. Assim, determinou-se os valores das constantes a e b, e o peso teoricamente esperado (Pe) para cada comprimento, pela fórmula Pe=a*Lsb. Então, calculou-se o fator de condição relativo (Kn) de cada espécime (Kn=Pt/Pe) de peixe parasitado e não parasitado, comparados através do teste t-Student.
Thesagro: Hospedeiro
Biossegurança
Crustáceo.
Data Created: 2017-03-20
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CPAF-AP)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CPAFAP2017AspectosdoparasitismodeExcorallanaResumo611.pdf74,86 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace