Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/192016
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Arroz e Feijão - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 20-Abr-2007
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: SILVEIRA, P. M. da
GUIMARÃES, C. M.
STONE, L. F.
KLUTHCOUSKI, J.
Informaçães Adicionais: PEDRO MARQUES DA SILVEIRA, CNPAF; CLEBER MORAIS GUIMARAES, CNPAF; LUIS FERNANDO STONE, CNPAF; JOAO KLUTHCOUSKI, CNPAF.
Título: Avaliação de cultivares de feijão para resistência à seca baseada em dias de estresse de água no solo.
Edição: 1981
Fonte/Imprenta: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 16, n. 5, p. 693-699, set./out. 1981.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Modelo computacional.
Conteúdo: Foi realizado um estudo visando avaliar cultivares de feijão (Phaseolus vulgaris L.) dos grupos preto e mulatinho, para resistência à seca, com base em dias de estresse de água no solo. Os ensaios de rendimento foram instalados em seis datas de plantio, usando oito cultivares do grupo preto: P-730, GO-3836, lguaçu, Rio Tibagi, P-729, Rico 23, Tambó, Cuva 168-N; e seis cultivares do grupo mulatinho: Mulatinho Paulista, Favinha, Vila Nova, IPA-7419, Mulatinho Vagem Roxa e Mulatinho Irecê, em delineamento de blocos ao acaso. Os dias de estresse de água no solo foram medidos através de um balanço hídrico, feito para cada uma das cultivares em cada plantio, por meio de um modelo computacional. Como dias de estresse hídrico consideraram-se os dias em que a água disponível no solo estava abaixo de 25% da capacidade de armazenamento até 1 m de profundidade. Realizaram-se estudos de regressão linear simples entre produção e número de dias de estresse de água no solo, durante a floração, nos seis ensaios e comparou-se a produtividade de cada cultivar com a média geral do grupo. A produção de grãos diminuiu à medida que o número de dias de estresse de água no solo aumentou, nas cultivares dos grupos preto e mulatinho, e a média geral de produção das cultivares do grupo mulatinho foi maior que a do grupo preto, quando houve estresse de água no solo. Dentro do grupo preto, a cultivar mais estável foi a 'P-730', e a de maior produção foi a 'Rio Tibagi', com 24,15% a mais que a média geral do grupo, quando se consideraram os graus zero, cinco, dez e quinze dias de estresse de água no solo. No grupo mulatinho, a mais estável foi a 'Favinha', e a 'IPA-7419' foi a de maior produção, com 13,611/1o a mais que a média geral do grupo, nos mesmos graus de estresse considerados. A grande vantagem desta técnica de avaliar resistência à seca, com base em dias de estresse, hídrico no solo, é que ela permite comparar, diretamente, rendimento, em cultivares com diferentes datas de floração, as quais podem estar sujeitas a diferentes graus de estresse de água no solo.
Thesagro: Balanço Hídrico
Feijão
Floração
Phaseolus Vulgaris.
Ano de Publicação: 1981
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPAF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
pab3.pdf412,77 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace