Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/257520
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Pecuária Sudeste - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 1-Set-2009
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: CHAGAS, A. C. de S.
GEORGETTI, C. S.
MAGALHÃES, P. M.
ANDRADE, M. S.
BRITO, L. G.
OLIVEIRA, M. C. de S.
GIGLIOTI, R.
Informaçães Adicionais: ANA CAROLINA DE SOUZA CHAGAS, CPPSE; CYNTHIA GEORGETTI, UNICEP; LUCIANA GATTO BRITO, CPAF-RO; MARCIA CRISTINA DE SENA OLIVEIRA, CPPSE; RODRIGO GIGLIOTI, UFSCar.
Título: Atividade in vitro de extratos vegetais e isolados sobre larvas e fêmeas ingurgitadas de rhipicephalus (boophilus) microplus
Edição: 2009
Fonte/Imprenta: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE FARMACOGNOSIA, 7., 2009, Maringá. Anais... Maringá: UEM, 2009.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: Pesquisas de bioativos vegetais buscam a disponibilização de antiparasitários menos tóxicos e que produzam menos resíduos nos subprodutos animais e no ambiente. Este estudo investigou a ação de Hura crepitans e Artemisia annua sobre larvas e fêmeas ingurgitadas de R. microplus. Métodos: Aproximadamente 100 larvas foram colocadas em envelopes de papel impregnado pelos extratos e a leitura da mortalidade ocorreu 24h após incubação (:t 28°C e UR 80%). As fêmeas foram imersas por 5 mino nos extratos e incubadas para posterior análise da mortalidade, postura e eclodibilidade 'dos ovos [1, 2]. Foram avaliados em 3 repetições o látex de H. crepitans nas concentrações de 0,625%, 1,25%, 2,5%, 5% e 10%, bem como o extrato etanólico de A. annua nas concentrações de 10 mg/mL, 23 mg/mL, 43 mg/mL, 77 mg/mL e 140 mg/mL. Utilizou-se o solvente Tween 80 a 0,33%, inclusive no grupo controle, completando-se o volume com água destilada. O genótipo de A. annua foi selecionado para elevado teor de artemisinina (0,97%) [3] e o extrato obtido a partir da maceração em etanol no ciclo de 3 extrações a cada 5 dias. Resultados e Discussãol Conclusão: A análise dos resultados para H. crepitans indicaram eficácia de 0% e de 15% sobre larvas e fêmeas, respectivamente, a 10%. Já para A. annua, indicaram eficácia de 28% e de 52,5% sobre larvas e fêmeas, respectivamente, â 140 mg/mL. Conclui-se que A. annua possui uso potencial sobre R. microplus em função de efeito indireto em seu ciclo, especilamente na redução da postura da fêmea ingurgitada.
Thesagro: Fitoterapia
Boophilus microplus
Ano de Publicação: 2009
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CPPSE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
18639.pdf442,77 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace