Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/471813
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Milho e Sorgo - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 28-Fev-2003
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: SILVA, R.G.
GALVAO, J.C.C.
MIRANDA, G.V.
OLIVEIRA, E. de.
Informaçães Adicionais: Embrapa Milho e Sorgo
Título: Identificação dos níveis e fontes de resistência aos enfezamentos do milho.
Edição: 2002
Fonte/Imprenta: Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, v. 1, n. 3, p. 18-29, set./dez. 2002.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: Objetivando identificar os níveis e fontes de resistência aos enfezamentos do milho, foram instalados dois experimentos, no mês de março de 2001, em Coimbra, MG e Sete Lagoas, MG. Cada experimento foi constituído por 30 tratamentos, dos quais dez foram representados pelos híbridos e suas autofecundações, enquanto os outros foram as combinações híbridas e suas recíprocas. Utilizou-se o delineamento em blocos ao acaso, com três repetições. A parcela experimental foi aproveitada integralmente, sendo constituída de duas linhas com 5 m de comprimento e espaçamento de 0,9 metro, com 25 plantas por linha, representando uma população aproximada de 55.000 plantas/ha. Na época do enchimento dos grãos, realizaram-se as avaliações para incidência e severidade dos enfezamentos. A incidência foi determinada com base no percentual de plantas por parcela apresentando sintomas dos enfezamentos. A severidade foi determinada atribuindo-se notas referentes à média dos sintomas das plantas na parcela. Essas notas variaram de 1 (ausência de sintomas) a 6 (plantas apresentando morte precoce causada por enfezamentos). Utilizou-se, ainda, o índice de doença. Nos dois locais, foi avaliada a produção de grãos de milho em cada parcela. O método de avaliação baseado no percentual de plantas com sintomas (incidência), em cada parcela, foi o mais eficiente na discriminação dos níveis de resistência aos enfezamentos, em ensaios de campo. Tal fato é de grande importância, pois permite a seleção eficiente de genótipos com maiores níveis de resistência, em condições de campo, empregando-se essa simples metodologia. Observou-se, também, que os híbridos P 3041 e C 333B possuem alta freqüência de alelos distintos, que conferem resistência aos enfezamentos.
Thesagro: Zea mays
Ano de Publicação: 2002
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPMS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Identificacaoniveis.pdf246,98 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace