Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/48556
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Pecuária Sudeste - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Data do documento: 17-Out-2008
Tipo do Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Autoria: KATIKI, L. M.
CHAGAS, A. C. de S.
OLIVEIRA, M. C. de S.
VERÍSSIMO, C. J.
Informaçães Adicionais: LUCIANA MORITA KATIKI, APTA-IZ - Pós Graduanda Unesp-Botucatu; ANA CAROLINA DE SOUZA CHAGAS, CPPSE; MARCIA CRISTINA DE SENA OLIVEIRA, CPPSE; Cecilia José Veríssimo, APTA-IZ.
Título: Plantas e compostos químicos de origem vegetal para o controle de nematóides.
Edição: 2008
Fonte/Imprenta: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PARASITOLOGIA VETERINÁRIA, 15.; SEMINÁRIO DE PARASITOLOGIA VETERINÁRIA DOS PAÍSES DO MERCUSUL, 2., 2008, Curitiba. Anais... Curitiba: CBPV, 2008.
Idioma: pt_BR
Palavras-chave: Parasitismo gastrintestinal
Nematóides
Controle
Plantas.
Conteúdo: O parasitismo gastrintestinal representa grave problema para algumas espécies animais devido à alta prevalência e à perda econômica que causa. O aumento da resistência aos anti-helmínticos e a preocupação cada vez mais crescente sobre os resíduos de fármacos nos derivados alimentícios, tornou necessário buscar novos agentes antiparasitários. As plantas medicinais representam grande fonte de pesquisa. O objetivo foi realizar uma revisão em base de dados científica (CAPES, Pubmed, Scopus) dos trabalhos nacionais e internacionais que avaliaram a ação anti-helmíntica de plantas medicinais e verificar quais espécies são relatadas, a que famílias pertencem e qual constituinte químico mais comum entre as espécies medicinais. A revisão refere 53 trabalhos, 128 plantas medicinais e 42 famílias submetidas à avaliação in vitro e in vivo. A família Fabaceae (Leguminosae) apresentou 20% das plantas estudadas, concentra em suas espécies taninos como principal constituinte químico e 84% dos trabalhos demonstraçam atividade anti-helmíntica positiva. A família Asteraceae representou 11 % das plantas estudadas, teve como principal constituinte químico os terpenos e em 71 % delas, resultado positivo. A fam ília Myrsinaceae esteve presente em 7% dos trabalhos e os constituintes são os flavonóides e taninos e obteve 55% de resultados positivos. A família Meliaceae foi bastante estudada devido à Azadirachta indica, que contém terpenos como constituintes químicos, porém com atividade anti-helmíntica pouco promissora. 6% dos trabalhos foram publicados até a década de 90, 13% foram publicados na década de 90 e 81 % após o ano 2000. A revisão demonstrou que as plantas avaliadas tiveram uma prévia indicação étnica, os estudos progrediram com grande intensidade após o ano 2000, as espécies mais estudadas estão na família Fabaceae, seguida de Asteraceae, Myrsinaceae e Meliaceae e os taninos, terpenos e flavonóides foram os mais citados nos trabalhos como sendo o principal constituinte químico das espécies avaliadas.
Thesagro: Composto Químico.
Ano de Publicação: 2008
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CPPSE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
17898.pdf336,54 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace