Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/876964
Unidade da Embrapa/Coleção:: Embrapa Arroz e Feijão - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Data do documento: 14-Fev-2011
Tipo do Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Autoria: SILVEIRA, R. D. D.
SANTOS, K. F. D'E. N.
DIDONET, C. C. G. M.
DIDONET, A. D.
BRONDANI, C.
Informaçães Adicionais: RICARDO DIÓGENES DIAS SILVEIRA, bolsista CNPAF; KARINA FREIRE D'EÇA NOGUEIRA SANTOS, bolsista CNPAF; CLAUDIA CRISTINA GARCIA MARTIM DIDONET, UEG; AGOSTINHO DIRCEU DIDONET, CNPAF; CLAUDIO BRONDANI, CNPAF.
Título: Proteínas de reserva de acessos de coleção nuclear de arroz.
Edição: 2010
Fonte/Imprenta: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 45, n. 12, p. 1441-1447, dez. 2010.
Idioma: pt_BR
Conteúdo: O objetivo deste trabalho foi quantificar o conteúdo de proteína total de reserva dos 550 acessos da Coleção Nuclear de Arroz da Embrapa (CNAE), e avaliar o perfil proteico dos 20 acessos com maior teor de proteína em SDS‑PAGE. Foi encontrado alto teor de proteína total de reserva (≥12,0%) em 103 acessos da CNAE, teor médio (11,9 a 9,0%) em 309 acessos e teor baixo (≤8,9%) em 138 acessos. Seis dos 20 acessos com maior teor de proteína de reserva apresentaram um padrão qualitativo diferencial de glutelina, que é a fração proteica de reserva mais abundante do grão de arroz. Há ampla variabilidade para o teor de proteína total de reserva do grão de arroz nos acessos da CNAE, a qual pode ser explorada por programas de melhoramento genético para aumentar o valor nutricional do arroz consumido no Brasil.
Thesagro: Arroz
Oryza sativa
Recurso genético
Proteína
Valor nutritivo
Ano de Publicação: 2010
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CNPAF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
45n12a151.pdf516,72 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace