Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/997268
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Caprinos e Ovinos - Tese/dissertação (ALICE)
Date Issued: 2013
Type of Material: Tese/dissertação (ALICE)
Authors: GONÇALVES, J. de L.
Additional Information: Juliete de Lima Gonçalves.
Title: Balanços nutricionais e nutrientes limitantes para ovelhas mestiças em pasto de capim - Tanzânia irrigado.
Publisher: 2013.
Pages: 84 f.
Language: pt_BR
Notes: Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Estadual Vale do Acaraú, Sobral. Orientador: Marco Aurélio Delmondes Bomfim (CNPC).
Keywords: Balanço de nutriente
Variedade Tanzânia
Capim-Tanzânia
Cultivated pasture
Pasto
Nutritional requirements
Supplements.
Feed crops
Exigência nutritional
Description: Resumo: As pastagens cultivadas são uma das opções para reduzir os impactos negativos da estacionalidade do pasto nativo. Dentre as forrageiras tropicais, as do gênero Panicum, com destaque para o capim-Tanzânia (Panicum Maximum cv. Tanzânia), se destacam por possuir altas taxas de acúmulo de forragem e bom valor nutricional, sendo uma ótima opção quando se trabalha em sistemas irrigados em que se deseja aumentar a capacidade de suporte. Diversos fatores, como idade, espécie, fatores climáticos, manejo e características do solo podem influenciar a qualidade das plantas forrageiras, fazendo se necessário o uso de metodologias para avaliar a qualidade da dieta. As exigências nutricionais podem mudar conforme a fase fisiológica e há necessidade em determinar quais nutrientes são limitantes e em que época é necessário à intervenção com a suplementação alimentar. Objetivou-se, com este estudo, avaliar o balanço nutricional e definir os nutrientes limitantes para ovelhas em diferentes estados fisiológicos, utilizando o pastejo simulado e o software Small Ruminant Nutrition System (SRNS), e assim propor estratégias de suplementação para aumentar a eficiência de produção em sistemas de produção em pastos irrigados de capim-Tanzânia no semiárido nordestino. Foram utilizadas 90 ovelhas mestiças entre as raças Santa Inês e Somalis Brasileira, com distintos graus de sangue, manejadas em uma área de três hectares de pastagem de capim-Tanzânia irrigada e adubada no período seco. As ovelhas foram acompanhadas durante toda sua fase fisiológica para contemplar as variações de exigências nutricionais ao longo do ano. Para estimativa da qualidade da dieta de ovinos foram coletadas amostras por meio da simulação de pastejo. Para a simulação do consumo e dos balanços de energia e proteína foi utilizado o SRNS. Conforme a simulação estimada pelo SRNS, a exigência de energia e proteína metabolizável no início da gestação é um pouco superior às exigências de mantença. Na fase final da gestação estas aumentaram 91,55% das necessidades de energia metabolizável e de 90,32% para proteína metabolizável de ovelhas no início da gestação para o final da gestação. A exigência de proteína metabolizável foi mais limitante na fase de lactação, decorrente do aumento da exigência para produção e composição do leite. Houve um aumento da exigência de energia metabolizável de 202,93% e de proteína metabolizável de 370,96% no pico de lactação, quando comparados com animais não gestantes/não lactantes. Observou-se que a qualidade da dieta, apesar da pouca variação, apresentou diferença estatística (P>0,05) entre os meses estudados. No entanto, com o uso da irrigação as variações na composição bromatológica foram mínimas. Os teores de proteína bruta, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido, lignina, digestibilidade in vitro da matéria seca e digestibilidade in vitro da matéria orgânica variaram de 7,53 a 11,30%; 66,49 a 72,52%; 35,56 a 39,78%; 3,90 a 5,79%; 50,61 a 58,17% e 50,05 a 58,65%, respectivamente. Os ovinos são bem seletivos e conseguiram selecionar uma dieta com valor nutricional superior aquele proveniente de amostras de produção de forragem, chegando aos percentuais máximo de 98,38% e 88,00% para proteína bruta. O SRNS mostrou-se sensível para predizer o consumo e os balanços nutricionais quando comparado com outro estudo com condições semelhantes. Os balanços negativos de energia e proteína ocorreram principalmente nas fases de gestação e lactação, fases onde ocorrem as maiores exigências. Nestes períodos são necessárias estratégias de suplementação alimentar como forma de corrigir estes déficits. Abstract: The cultivated pastures are one of the options to reduce the negative impacts of seasonality of native pasture. Among the tropical forages, the genus Panicum, especially the Tanzania grass (Panicum Maximum hp. Tanzânia), are unique in high rates of accumulation of forage and good nutritional value and is a great option when working on systems irrigated in which you wish to increase carrying capacity. Several factors, such as age, species, climatic factors, management and soil characteristics can influence the quality of forage plants, making it necessary to use methodologies for evaluating the quality of the diet. The nutritional requirements may change as the physiological stage and no need to determine which nutrients are limiting and that time is needed intervention with dietary supplementation. The objective of this trial was to evaluate the nutritional balance and define the limiting nutrients for sheep in different physiological states, using the simulated grazing and software Small Ruminant Nutrition System (SRNS), and to propose supplementation strategies to increase production efficiency production systems in pastures irrigated Tanzânia grass in semi-arid northeast. We used 90 crossbred ewes between Santa Inês and Brasilian Somalis, with different degrees of blood, were assigned an area of three hectares of pasture of Tanzânia irrigated and fertilized during the dry period. Ewes were accompanied throughout their physiological stage to contemplate changes in nutritional requirements throughout the year. To estimate the quality of the diet of sheep samples were collected by hand-plucking. To simulate the consumption and balance of energy and protein was used SRNS. As estimated by the simulation SRNS, the requirement of metabolizable energy and protein in early pregnancy is slightly higher than the maintenance requirement. In late pregnancy these increased needs 91.55% of metabolizable energy and metabolizable protein for 90.32% of ewes in early pregnancy to late pregnancy. The requirement of metabolizable protein was most limiting during lactation, due to increased demand for production and milk composition. There was an increase in metabolizable energy requirement of 202.93% and 370.96% of metabolizable protein in peak lactation, when compared to animals not pregnant / not breastfeeding. It was observed that the quality of the diet, despite little variation, statistically significant difference (P>0.05) between months. However, with the use of irrigation variations in chemical composition are minimal. The crude protein, neutral detergent fiber, acid detergent fiber, lignin, in vitro dry matter digestibility and in vitro organic matter ranged from 7.53 to 11.30%, from 66.49 to 72.52% , from 35.56 to 39.78%, 3.90 to 5.79%, 50.61 to 58.17% and from 50.05 to 58.65% respectively. The sheep are very selective and able to select a diet with superior nutritional value from samples that forage production, reaching maximum percentage of 98.38% and 88.00% crude protein. The SRNS was sensitive to predict consumption and nutritional balance when compared with another study with similar conditions. The negative balance of energy and protein occurred mainly in stages of gestation and lactation phases occur where the greatest demands. These periods are needed supplemental feeding strategies as a way to correct these deficits.
Thesagro: Ovino
Ovelha
Nutrição animal
Suplemento alimentar
Forrageira tropical
Eficiência nutricional
Gramínea forrageira
Gramínea tropical
Panicum Maximum.
NAL Thesaurus: Sheep
Nutrient balance.
Data Created: 2014-10-13
Appears in Collections:Tese/dissertação (CNPC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
upaBalancos.pdf1,11 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace