Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1019887
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorFRANÇA, L. V. dept_BR
dc.contributor.authorDUBOC, E.pt_BR
dc.contributor.authorJUNQUEIRA, N. T. V.pt_BR
dc.contributor.otherLEONICE VIEIRA DE FRANÇA, CPAC; ENY DUBOC, CPAO; NILTON TADEU VILELA JUNQUEIRA, CPAC.pt_BR
dc.date.accessioned2015-07-15T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2015-07-15T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2015-07-15pt_BR
dc.date.issued2009pt_BR
dc.identifier.other34637pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1019887pt_BR
dc.descriptionO pequi é encontrado em densidades elevadas em meio a pastagens naturais ou pastagens cultivadas, além das vegetações naturais na região do Cerrado. O seu cultivo, embora incipiente, tem sido praticado em sistema silvipastoril no Estado do Mato Grosso e Tocantins. A fertilização do substrato é uma das fases mais importantes para a produção de mudas de espécies arbóreas proporcionando melhor desenvolvimento, precocidade e maior sobrevivência em campo. Existem no mercado inúmeros tipos de adubos, que variam na sua composição, forma (pó, grânulos e encapsulados) e solubilidade. O objetivo desse trabalho foi avaliar os parâmetros de crescimento; diâmetro do colo, altura, número de folhas, e peso seco da parte aérea e do sistema radicular de mudas de pequi submetidas a diferentes doses de fertilizantes de liberação controlada. Os tratamentos utilizados foram: 0; 1,5; 3,0; 6,0 e 9,0 gramas de Osmocote® 15-9-12 (seis meses) por planta, que corresponderam as doses de 0; 1,36; 2,71; 5,43 e 8,14 g de Osmocote® 15-9-12 por litro de substrato, respectivamente. As mudas de pequi responderam de forma positiva e linear em número de folhas (y = 7,115556 + 0,682222x, R2 = 80,95 %) e em produção de matéria seca da parte aérea (y = 9,519733 + 0,849400x, R2 = 87,22 %). Para incremento em diâmetro do colo a melhor dose foi a de 2,71 g/litro de substrato seguida pela de 8,14 g/ litro de substrato, para incremento em altura a melhor dose foi a de 8,14 g/ litro de substrato seguida pela de 2,71 g/ litro de substrato; e a melhor relação raiz/parte aérea foi encontrada com a dose de 8,14 g/ litro de substrato. Projeto Fontes alternativas de matéria prima para produção de biocombustíveis.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/126556/1/2303-188.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: CONGRESSO BRASILEIRO DE PLANTAS OLEAGINOSAS, ÓLEOS, GORDURAS E BIODIESEL, 6., 2009. Montes Claros. Biodiesel: inovação tecnológica: anais. Lavras: UFLA, 2009.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Cerrados - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectProdução de mudas.pt_BR
dc.titleEfeito de diferentes doses de fertilizante de liberação controlada em mudas de pequi (Caryocar brasiliense Camb.).pt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2015-07-15T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroPequipt_BR
dc.subject.thesagroCerradopt_BR
dc.subject.thesagroFertilizantept_BR
dc.subject.nalthesaurusbiodiesel.pt_BR
dc.ainfo.id1019887pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2015-07-15pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPAC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2303188.pdf57,99 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace