Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1020573
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMOTA, J. V. R.pt_BR
dc.contributor.authorVENTURINI, M. T.pt_BR
dc.contributor.authorPEREIRA, M. E. C.pt_BR
dc.contributor.authorOLIVEIRA, E. J. dept_BR
dc.contributor.authorSILVA, M. L. C.pt_BR
dc.date.accessioned2015-07-27T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2015-07-27T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2015-07-27pt_BR
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.citationIn: CONGRESSO BRASILEIRO DE PROCESSAMENTO MÍNIMO E PÓS COLHEITA DE FRUTAS, FLORES E HORTALIÇAS, 1.; SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA, FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 5.; ENCONTRO NACIONAL SOBRE PROCESSAMENTO MÍNIMO DE FRUTAS E HORTALIÇAS, 8., 2015, Aracaju,SE. Avanço na conservação e qualidade de frutas, flores e hortaliças: [anais]. Aracaju : Universidade Federal de Sergipe, 2015. 1 CD-ROM.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1020573pt_BR
dc.descriptionA comercialização da mandioca é limitada por causa da deterioração fisiológica pós-colheita (DFPC) que se manifesta nas raízes dentro de 24 a 48 horas causando perdas de qualidade e valor comercial. O presente trabalho objetivou avaliar a correlação entre a atividade da peroxidase e a severidade da deterioração fisiológica em raízes de mandioca tolerantes e susceptíveis à DFPC ao longo do armazenamento. Raízes de mandioca provenientes de duas áreas experimentais (COOPAMIDO e UFRB) foram avaliadas no dia da colheita e aos 02, 05 e 10 dias após, em cinco repetições/genótipo/dia. A DFPC foi avaliada visualmente conforme a severidade (%) dos sintomas distribuídos na fatia das raízes em três cortes transversais (proximal, mediano e distal) ao longo da raiz inteira. As notas da DFPC foram transformadas em valores da área abaixo da curva de progresso da deterioração (AACPD). A análise da AACPD gerou quatro grupos, dos quais foram selecionados nove genótipos para extração e determinação da atividade da enzima peroxidase nos mesmos dias de avaliação visual da DFPC. Houve aumento da atividade da peroxidase ao longo do período de armazenamento, apresentando alta correlação positiva (> 80%) com a severidade dos sintomas de DFPC. Os resultados deste estudo sugerem que a peroxidase esteja envolvida no processo de deterioração fisiológica pós-colheita das raízes de mandioca dos genótipos avaliados, sendo um potencial indicador a ser utilizado no melhoramento da cultura para a identificação e geração de genótipos mais tolerantes à DFPC.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.titleCorrelação entre peroxidase e severidade da deterioração fisiológica pós-colheita em raízes de mandioca.pt_BR
dc.typeArtigo em anais e proceedingspt_BR
dc.date.updated2016-03-07T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroMandiocapt_BR
dc.subject.nalthesaurusCassavapt_BR
dc.format.extent28p.pt_BR
riaa.ainfo.id1020573pt_BR
riaa.ainfo.lastupdate2016-03-07pt_BR
dc.contributor.institutionJOSUEL V. R. MOTA, UFRB; MARCELA T. VENTURINI; MARCIO EDUARDO CANTO PEREIRA, CNPMF; EDER JORGE DE OLIVEIRA, CNPMF; MARÍLIA L. C. SILVA, UEFS.pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CNPMF)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Correlacaoentreperoxidase00417051833.pdf219,62 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace