Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1036433
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSTANCATTE, R. S.pt_BR
dc.contributor.authorVIEIRA, H. B.pt_BR
dc.contributor.authorSOUZA, D. T.pt_BR
dc.contributor.authorMELO, I. S. dept_BR
dc.contributor.authorRAMOS, N. P.pt_BR
dc.contributor.otherRAISSA SYLVESTRIN STANCATTE, PUCCAMP; HENRIQUE BARROS VIEIRA, CNPMA; DANILO TOSTA SOUZA, ESALQ-USP; ITAMAR SOARES DE MELO, CNPMA; NILZA PATRICIA RAMOS, CNPMA.pt_BR
dc.date.accessioned2016-02-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2016-02-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2016-02-10pt_BR
dc.date.issued2015pt_BR
dc.identifier.other14842pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1036433pt_BR
dc.descriptionResumo: Bactérias não patogênicas associadas à rizosfera podem aumentar a tolerância de plantas a estresse biótico e abiótico. Estas têm sido aplicadas como biofertilizantes podendo mitigar efeitos do estresse hídrico. Neste sentido, o presente trabalho objetivou avaliar o vigor e a tolerância ao estresse hídrico de mudas de cana-de-açúcar inoculadas com Bacillus spp. Foram testadas as combinações de 19 variedades comerciais de cana-de-açúcar x 1 tratamento com um isolado de Bacillus spp. (BTHE ? bactéria tolerante ao estresse hídrico) e 1 testemunha com água (H2O). Para a determinação do vigor de mudas determinou-se a biomassa da raiz (g planta-1 na base seca) sob regime regular de irrigação. Já a tolerância ao estresse hídrico foi determinada pela eficiência relativa entre o tratamento BTHE e a testemunha H2O. Utilizou-se a análise de variância e teste de Tukey de médias para a biomassa de raiz e a frequência para eficiência relativa. Observou-se que a biomassa da raiz com BTHE foi em média 7% mais pesada que a testemunha. Houve interação entre variedades e tratamentos, com destaque para CTC9002, RB72454, CTC14, CTC17 e IAC5000 (31, 30, 29, 25 e 10 % mais pesadas que a testemunha). A conversão do vigor de plantas em tolerância a seca foi confirmada após a suspensão total da irrigação, onde sete variedades (40%) com BTHE apresentaram eficiência relativa de 30%. Conclui-se que: há interação entre genótipo e tratamento de mudas de cana-de-açúcar com BTHE. Para interações positivas há incremento no vigor de raízes que se confirma em maior tolerância a seca.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/138647/1/2015AA066.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: CONGRESSO INTERINSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 9., 2015, Campinas. Anais... Campinas: IAC, 2015. 8 p.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Meio Ambiente - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectDéficit hídricopt_BR
dc.subjectTolerância a secapt_BR
dc.subjectCana-de-açúcar.pt_BR
dc.titleUso de bactérias tolerantes a seca em mudas de cana-de-açúcar.pt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2016-02-10T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroBactériapt_BR
dc.subject.thesagroResistência à seca.pt_BR
dc.subject.nalthesaurusSugarcanept_BR
dc.subject.nalthesaurusDrought tolerance.pt_BR
dc.ainfo.id1036433pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2016-02-10pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CNPMA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015AA066.pdf532,39 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace