Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1053992
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorRAMOS, G. K. de S.pt_BR
dc.contributor.authorLEMOS, O. F. dept_BR
dc.contributor.authorCUNHA, E. F. M.pt_BR
dc.contributor.authorMENDONÇA, D. P.pt_BR
dc.contributor.authorRODRIGUES JUNIOR, O. M.pt_BR
dc.contributor.authorSILVA, F. B. B. dapt_BR
dc.contributor.otherGleyce Kelly de Sousa Ramos, MESTRANDA UFRA; ORIEL FILGUEIRA DE LEMOS, CPATU; ELISA FERREIRA MOURA CUNHA, CPATU; Danielle Pereira Mendonça, GRADUANDA UFRA; Orlando Maciel Rodrigues Junior, GRADUANDO UFRA; Fernanda Beatriz Bernaldo da Silva, GRADUANDA UFRA.pt_BR
dc.date.accessioned2016-10-03T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2016-10-03T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2016-10-03pt_BR
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.other52689pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1053992pt_BR
dc.descriptionA pimenteira-do-reino (Piper nigrum L.) é uma importante especiaria usada em diversas industriais e é um dos principais produtos agrícolas da pauta de exportações do estado do Pará. A propagação vegetativa, método comercial de produção de mudas de pimenteira-do-reino, se realizada a partir de plantas matrizes infectadas com vírus, promove à degenerescência da planta e prejuízos na produtividade. A temperatura elevada é uma alternativa para a limpeza clonal via micropropagação. O objetivo desse estudo foi verificar a termotolerância dos brotos cultivadas in vitro visando a limpeza clonal. Os explantes (gemas apicais e laterais) foram cultivados in vitro em experimentos preliminares de termotolerância. As temperaturas usadas foram: 32 ºC, 33 ºC, 34 ºC, 36 ºC e 38 ºC, com fotoperíodo de 16 h. luz. Foram avaliados: taxa de oxidação e desenvolvimento de novas folhas. Explantes de pimenteira-do-reino permaneceram incubadas em câmaras do tipo BOD com ajuste de temperatura por 30 dias em cada temperatura. À temperatura de 38 ºC ocorreu elevada taxa de oxidação dos explantes e sem desenvolvimento de brotos enquanto à temperatura de 32 ºC, os explantes diferenciaram in vitro com novas brotações e folhas, sem oxidação. A temperatura dos explantes in vitro influencia diretamente da taxa de sobrevivência e desenvolvimento de pimenteira-do-reino micropropagadas, sendo sugerida a temperatura de 32 ºC para auxiliar a limpeza clonal no processo de micropropagação.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/148207/1/Pibic2016-p430.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 20.; SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL, 4., 2016, Belém, PA. Anais. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2016.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectPiper nigrum Lpt_BR
dc.subjectTermoterapia.pt_BR
dc.titleEfeito da temperatura no desenvovimento in vitro de pimenteira-do-reino (Piper nigrum L.).pt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2017-03-07T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroOxidação.pt_BR
dc.format.extent2p. 430-434.pt_BR
dc.ainfo.id1053992pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2017-03-07pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Pibic2016p430.pdf384,8 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace