Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1059104
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Agrossilvipastoril - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2016
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: MATTE, W. D.
CAVALIERI, S. D.
PEREIRA, C. S.
IKEDA, F. S.
COSTA, W. B. da
SARAIVA, M. V.
ÁVILA, M. C. R.
Additional Information: WILLIAN DARÓZ MATTE, UFMT-SINOP; SIDNEI DOUGLAS CAVALIERI, CNPA; CASSIANO SPAZIANI PEREIRA, UFMT-SINOP; FERNANDA SATIE IKEDA, CPAMT; WANDERSON BERTOTTI DA COSTA, UFMT-SINOP; MARCOS VINÍCIUS SARAIVA, UFMT-SINOP; MYLLA CRYSTHYAN RIBEIRO ÁVILA, IFGO.
Title: Tolerância da soja cv. M7739 IPRO ao herbicida sulfentrazone nas condições edafoclimáticas da região médio-norte de Mato Grosso.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DA CIÊNCIA DAS PLANTAS DANINHAS, 30., 2016, Curitiba. Conhecimento e tecnologia a serviço do agricultor: anais. Curitiba: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas, 2016. p. 410
Language: pt_BR
Keywords: Daninhas
Glifosato
Planta daninha
Description: A constante aplicação de glyphosate em áreas de soja RR tem contribuído para o surgimento de populações de plantas daninhas resistentes a esse herbicida devido à pressão de seleção. Diante disso, a aplicação de herbicidas alternativos com diferentes mecanismos de ação se mostra necessária a fim de se prevenir essa resistência. Objetivou-se com este trabalho avaliar a tolerância da soja cv. M7739 IPRO ao herbicida sulfentrazonenas condições edafoclimáticas da região médio-norte de Mato Grosso. O experimento foi conduzido em campo na safra 2015/16 naárea do Centro de Treinamento do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt), em Sorriso-MT. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com cinco repetições, sendo aplicado sete frações (0; 6,25; 12,5; 25; 50; 100 e 200%) da dosagem recomendada do herbicida sulfentrazone (600 g ha-1). A aplicação do sulfentrazone foi realizada em pré-emergência no dia 06 de novembro de 2015, com auxílio de um pulverizador costal pressurizado com CO2, logo após a semeadura da soja. Durante todo o ciclo da cultura o experimento foi capinado e foram registrados 637 mm de precipitação pluvial acumulada. A colheita da soja ocorreu nos dias 24 e 25 de fevereiro de 2016. As variáveis avaliadas foram: índices de intoxicação (escala EWRC) e características fotossintéticas da soja (concentração de sub-estomatos, taxa transpiração, condutância estomática, taxa fotossintética e eficiência instantânea no uso da água) com auxílio de um IRGA (Infra-red Gás Analyzer) aos 19, 27 e 34 dias após a aplicação (DAA); estande inicial aos 7 DAA; estande final; altura de plantas aos 104 DAA; componentes de produção (número de vagens por planta, número de grãos por vagem e massa de 100 grãos) e produtividade de grãos. Não houve significância (p>0,05) para as variáveis mensuradas neste estudo, evidenciando a tolerância da cultivar de soja M7739 IPRO ao sulfentrazone nas condições edafoclimáticas da região médio-norte de Mato Grosso.
Thesagro: Resistencia
Data Created: 2016-12-21
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CPAMT)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016cpamtikedatoleranciasojaherbicidasulfentrazone.pdf2,57 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace