Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1071414
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSA, L. A. N. dept_BR
dc.contributor.otherLUIZ ALEXANDRE NOGUEIRA DE SA, CNPMA.pt_BR
dc.date.accessioned2017-06-30T00:06:09Z-
dc.date.available2017-06-30T00:06:09Z-
dc.date.created2017-06-23pt_BR
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.other15498pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1071414pt_BR
dc.descriptionO controle biológico clássico, refere-se à exploração, introdução, criação, liberação, estabelecimento e colonização de inimigos naturais, com o objetivo de reduzir o nível populacional de um determinado organismo indesejável. Estes trabalhos envolvem a transferência de organismos vivos de uma região para outra ou mesmo de um país para outro, onde sempre se corre o risco de introduzir organismos indesejáveis, junto aos organismos benéficos. A necessidade de Estação Quarentenária é de primordial importância evitando-se assim a introdução de novas pragas, contaminantes, hiperparasitóides, plantas invasoras e fitopatógenos. O número de espécies importadas de organismos benéficos e outros fins no período de 1991-2015 pelo Laboratório de Quarentena ?Costa Lima? (credenciado no país pelo MAPA desde de 1991) da Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna-SP foram de 773 espécies, provenientes de 27 países (Alemanha, África do Sul, Austrália, Argentina, Benin, Canadá, Costa Rica, Chile Cuba, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Israel, Inglaterra, Japão, Holanda, Peru, Paraguai, Malásia, México, Nova Zelândia, Quênia, Suíça, Uruguai, Tailândia, Trinidad). As porcentagens de cada grupo de organismos benéficos importados foram de 38% de insetos (parasitóides, predadores), ácaros predadores e nematóides entomopatogênicos e de 62% de microrganismos (fungos, virus e bactérias). O número de estados da Federação benificiados com essas introduções para fins de controle biológico de pragas foram de 18. As porcentagens das demandas de registros dessas introduções no país foram de 52,17% pelas Empresas Públicas (Unidades da Embrapa e Institutos de Pesquisa), 24,36% Universidades, 17,40% Empresas Privadas e 5,8% pelas Cooperativas. Também O Laboratório ?Costa Lima? colaborou nas exportações de 36 espécies de organismos, sendo de 19 parasitóides (para EUA, Holanda, Japão), 16 ácaros predadores (África, Sri Lanka, Colômbia, França, Benin e Quênia) e um fungo (África e Colômbia).pt_BR
dc.description.uribitstream/item/161234/1/2016RA-066.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 26.; CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE ENTOMOLOGIA, 9., 2016, Maceió. Anais... Maceió: Sociedade Entomológica do Brasil; Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2016.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Meio Ambiente - Resumo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectDefesa agropecuáriapt_BR
dc.subjectPragas exóticaspt_BR
dc.titleControle biológico clássico de pragas e a experiência da Embrapa na quarentena de bioagentes exóticos.pt_BR
dc.typeResumo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2017-06-30T00:06:09Zpt_BR
dc.subject.thesagroQuarentenapt_BR
dc.format.extent2p. 36.pt_BR
dc.ainfo.id1071414pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2017-06-29pt_BR
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPMA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016RA066.pdf551,7 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace