Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1078124
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Meio Ambiente - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2017
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: MATES, A. P. K.
HALFELD-VIEIRA, B. de A.
PONTES, N. de C.
CARDOSO, C. R.
Additional Information: A. P. K. MATES; BERNARDO DE ALMEIDA HALFELD VIEIRA, CNPMA; N. de C. PONTES; C. R. CARDOSO, Grupo Farroupilha.
Title: Avaliação da capacidade de indução de resistência por Bacillus methlotrophicus visando o controle da mancha-bacteriana do tomateiro.
Publisher: Summa Phytopathologica, v. 43, Feb. 2017. Supplement. Resumos do Congresso Paulista de Fitopatologia, 40., 2017, Campinas. Ref. 002.
Language: pt_BR
Description: A mancha-bacteriana (Xanthomonas perforans) é uma das doenças mais destrutivas para a cultura do tomate (Solanum lycopersicum), pois causa perdas severas tanto em cultivares destinadas para consumo in natura como para processamento industrial. Isto se deve ao fato de a doença incidir em todos os órgãos da parte aérea da planta. Atualmente, não se dispõe de variedades comerciais com bons níveis de resistência à doença, o que pode ser resultado da variabilidade do patógeno. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de Bacillus methylotrophicus como indutor biótico de resistência no controle da mancha-bacteriana em tomateiro. Inicialmente foram avaliados 8 isolados de Bacillus spp, em casa de vegetação, por pulverização foliar, sendo que um isolado de B. methylotrophicus se destacou dos demais no controle da doença. Para a avaliação da capacidade de indução de resistência, foi preparada uma suspensão de B. methylotrophicus com concentração de 5x10?? e adicionados 8 mL da solução no solo ao redor do caule de plantas em estádio de 4 folhas expandidas visando a colonização da rizosfera do tomate. No terceiro dia após a inoculação com o B. methylotrophicus foi pulverizada sobre as folhas das plantas uma suspensão de X. perforans na mesma concentração. Os tratamentos foram compostos por 15 repetições, constituído por plantas contendo: X. perforans, X. perforans + B. methylotrophicus, B. methylotrophicus e a testemunha (água). Nos dias 1-3-5-7-11 após a aplicação do tratamento com inoculação do patógeno, iniciouse a coleta de amostras para a determinação da atividade da peroxidase (PO) e polifenoloxidase (PPO). O aumento significativo da atividade das duas enzimas foi verificado aos 3 e 5 dias após a inoculação do patógeno, no tratamento X. perforans + B. methylotrophicus, demonstrando evidências de que B. methylotrophicus é capaz de induzir resistência sistêmica em tomateiro.
Thesagro: Tomate
Data Created: 2017-10-25
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPMA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RAHalfeldVieiraBA40CPFitopatologia2017Ref002.pdf287,21 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace