Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1085133
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorVIEIRA, D. A.
dc.contributor.authorCARVALHO, M. M. P.
dc.contributor.authorAIDAR, S. de T.
dc.contributor.authorMARINHO, L. B.
dc.contributor.authorMESQUITA, A. de C.
dc.contributor.otherDANIEL AMORIM VIEIRA, Doutorando da Universidade Federal de Lavras, MG; MARÍLIA MICKAELE PINHEIRO CARVALHO, Doutoranda da Universidade Federal de Lavras, MG; SAULO DE TARSO AIDAR, CPATSA; LÍGIA BORGES MARINHO, Docente , Universidade do Estado da Bahia, Juazeiro, BA; ALESSANDRO DE CARLOS MESQUITA, Docente , Universidade do Estado da Bahia, Juazeiro, BA.
dc.date.accessioned2018-05-22T00:49:38Z-
dc.date.available2018-05-22T00:49:38Z-
dc.date.created2018-01-12
dc.date.issued2017
dc.identifier.other57076
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1085133-
dc.descriptionAs mudanças climáticas têm contribuído com a escassez hídrica e por isso o presente trabalho têm como objetivo avaliar o comportamento fisiológico em tipos de meloeiro submetido ao estresse hídrico. O estudo foi realizado no período de outubro a dezembro de 2015 em ambiente protegido na área experimental da Universidade do Estado da Bahia, no Submédio do Vale do São Francisco, município de Juazeiro BA (9° 24 S; 40° 30 W; 368 m de altitude. Para o estudo com o melão, utilizou-se os tipos melão amarelo e pele de sapo, híbridos Mandacaru e Juazeiro, respectivamente. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso com três repetições, em esquema de parcelas sub-subdivididas, onde as parcelas foram compostas pelas quatro lâminas de irrigação(50, 75, 100 e 125% da evapotranspiração da cultura-ETC), a subparcela composta dos tipos pele de sapo e melão amarelo e a sub- subparcela pelas coletas para as análises fisiológicas( 15, 30 e 45 dias após o transplantio). Aos 45 dias após o transplantio foi feito a coleta das plantas, afim de obter a matéria seca: das folhas, ramos e raíz. O estresse hídrico reduziu a fotossíntese líquida, transpiração, condutância estomática e o acúmulo de matéria seca no ramo, folhas e raízes. O tipo pele de sapo pode ser cultivado sob déficit hídrico, pois se mostrou mais tolerante, apresentando um maior ajustamento fotossintético perante as trocas gasosas e acúmulo de matéria seca da raiz do que melão amarelo em condições de estresse hídrico.
dc.description.uribitstream/item/177300/1/Saulo-1.pdfpt_BR
dc.format1 CD-ROM.
dc.languagept_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 20; SIMPÓSIO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESERTIFICAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO, 5., 2017, Juazeiro, BA. A agrometeorologia na solução de problemas multiescala: anais. Petrolina: Embrapa Semiárido; Juazeiro: UNIVASF; Campinas: Sociedade Brasileira de Agrometeorologia, 2017.
dc.relation.ispartofEmbrapa Semiárido - Artigo em anais de congresso (ALICE)
dc.subjectEstresse hídrico
dc.subjectAjuste fotossintético
dc.subjectMudanças Climáticas
dc.subjectClimate changes
dc.subjectMelon
dc.titleProdução de matéria seca e fisiologia em meloeiro submetido ao estresse hídrico em região Semiárida.
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)
dc.date.updated2018-05-22T00:49:38Zpt_BR
dc.subject.thesagroMelão
dc.subject.thesagroSolo
dc.subject.thesagroFisiologia
dc.subject.thesagroCucumis Melo
dc.subject.thesagroMatéria Seca
dc.ainfo.id1085133
dc.ainfo.lastupdate2018-05-21
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPATSA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Saulo1.pdf384.85 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace