Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1086796
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Agrossilvipastoril - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2017
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: RONCATTO, G.
BOTELHO, S. de C. C.
MARCILIO, H. de C.
ROMANO, M. R.
OLIVEIRA, S. S.
Additional Information: GIVANILDO RONCATTO, CPAMT; SILVIA DE CARVALHO CAMPOS BOTELHO, CPAMT; Humberto de C. MARCILIO, EMPAER-VARZEA GRANDE; MARCELO RIBEIRO ROMANO, CNPMF; SUZINEI SILVA OLIVEIRA, CPAMT.
Title: Crescimento vegetativo e produção inicial de cultivares de maracujazeiro-amarelo em Tangará da Serra-MT.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 25.; REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE HORTICULTURA TROPICAL, 63., 2017, Bahia. Grandes desafios, ciência e conhecimento para inovação: [Anais...]. Bahia: SBF, 2017. [Online]. 133.
Language: pt_BR
Keywords: Mato Grosso.
Description: O Brasil é o maior produtor mundial de maracujá. Mas, apesar da posição de destaque, a vida útil do maracujazeiro vem sendo reduzida, principalmente, devido aos danos causados por doenças como antracnose, verrugose e bacteriose. O uso de cultivares produtivas e resistentes a doenças apresenta-se como alternativa de produção. A baixa produção do maracujazeiro em Mato Grosso, bem como a menor qualidade de frutos são causados por fatores como a falta de tecnologias adaptadas para a região, problemas fitossanitários, técnicas inadequadas de cultivo e baixa utilização de cultivares melhoradas. Objetivou-se avaliar o crescimento vegetativo e a produção inicial de frutos de cinco cultivares de maracujazeiro- amarelo no sudoeste do estado de Mato Grosso. O trabalho foi desenvolvido na empresa Tropical Polpa de Frutas, em Tangará da Serra/MT, desde julho de 2012 a junho de 2013, no primeiro ano de cultivo do maracujazeiro. As cultivares utilizadas para todos os tratamentos foram o maracujazeiro-amarelo ?FB 200? e ?FB 300? do viveiro Flora Brasil (Araguari, MG) e as cultivares BRS Gigante Amarelo, BRS Sol do Cerrado e BRS Rubi do Cerrado (Embrapa Cerrados, Planaltina-DF). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com 4 repetições, numa análise fatorial simples (combinação de 5 cultivares x 4 repetições), para estimar o efeito de cada cultivar nas repetições e da provável interação cultivar x repetição. Cada parcela foi constituída por 10 plantas, sem bordadura, onde o fator foi cultivar: FB 200, FB 300, BRS Gigante Amarelo, BRS Sol do Cerrado e BRS Rubi do Cerrado. O experimento foi formado constituindo-se pomar em espaldeira simples (com um fio de arame a 2 m do solo) e espaçamento de 3 x 3 m. As características avaliadas foram diãmetro e altura de plantas aos 30 a 90 dias após o plantio e número de frutos, massa média dos frutos e produção de frutos no primeiro ano do ciclo de cultivo do maracujazeiro. As cultivares de melhor desempenho em relação às características de crescimento vegetativo e produção (número de frutos, peso médio de frutos e produção de frutos) foram FB 200, FB 300, BRS Gigante Amarelo e BRS Rubi do Cerrado. A cultivar BRS Sol do Cerrado foi a que teve o pior desempenho nas variáveis avaliadas. O diâmetro de plantas variou de 4 a 6 cm no período considerado, enquanto que a altura de plantas variou de 0,5 a 1,2 m. O número de frutos/planta foi de 91 a 329, com produção de 5 a 15 kg/planta e peso de 182 a 219 g/fruto.
Thesagro: Passiflora Edulis
Estatura de Planta
Diâmetro
Maracujá
Fruta tropical
Variedade.
Data Created: 2018-01-31
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CPAMT)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017cpamtgivanildoroncatocrescimentocultivarmaracujaamarelomt133.pdf85,1 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace