Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1098271
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amapá - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2018
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: SILVA, P. H. E. da
BORGES, W. F.
OLIVEIRA, M. S. B.
TAVARES-DIAS, M.
Additional Information: PEDRO HUGO ESTEVES DA SILVA, Unifap; WILLIAN FELIX BORGES, Ueap; MARCOS SIDNEY BRITO DE OLIVEIRA, Bolsista Embrapa Amapá; MARCOS TAVARES DIAS, CPAF-Amapá.
Title: Biometria e dimorfismo sexual de Argulus juparanaensis (Argulidae), um parasito de Potamotrygon motoro (Potamotrygonidae).
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOLOGIA, 32., 2018, Foz do Iguaçu. Desafios e perspectivas para a Zoologia na América Latina: [resumos]. Foz do Iguaçu: Sociedade Brasileira de Zoologia, 2018. p. 997.
Language: pt_BR
Keywords: Ectoparasito
Elasmobranchii
Description: Argulus juparanaensis é encontrado parasitando Potamotrygon motoro da bacia do Rio Amazonas, e parece ter forte relação com esse hospedeiro. O gênero Potamotrygon abriga 21 espécies, indivíduos adaptados à água doce, mas algumas espécies suportam variações de salinidade e podem invadir águas salobras, como é o caso de P. motoro, um peixe bentônico, carnívoro e vivíparo. O objetivo deste estudo, foi apresentar dados da biometria e dimorfismo sexual de Argulus juparanaensis. Em setembro de 2015, P. motoro foi capturado para coleta de crustáceos ectoparasitos no baixo Rio Amazonas. Os crustáceos foram fixados em etanol 70%, e as arraias soltas. Após sexagem, os parasitos (machos e fêmeas) forma medidos o comprimento: total (CT), carapaça (CC), pleon (CP) e largura da carapaça (LC). Calculou-se prevalência (P%), intensidade média (IM) e abundância média (AM). O teste t de Student foi aplicado para comparar as médias biométricas entre machos e fêmeas de A. juparanaensis. Foram coletados 63 espécimes (30 machos/33 fêmeas) de A. juparanaensis em quatro espécimes de P. motoro (P% = 100, IM = 15,7 e AM = 15,7). Os valores médios do CT dos crustáceos (Machos = 3,8 ±0,4; Fêmeas = 3,9 ± 0,5) não diferiram (t = 2,00; p = 0,300), assim como CC (Machos = 2,8 ± 0,4; Fêmea = 3,0 ± 0,4) (t = 1,99; p = 0,107) e LC (Machos = 2,3 ± 0,2; Fêmea = 2,3 ± 0,5) (t = 2,00; p = 0,592), porém, o CP (Machos = 0,8 ± 0,1; Fêmeas = 0,7 ± 0,2) foi maior para os machos (t = 2,010; p = 0,014). Das fêmeas analisadas, 97,0% estavam ovígeras, com comprimento > 2,4 mm, indicando que fêmeas com comprimento inferior a 2,4 mm estão imaturas. Os parasitos coletados apresentaram tamanhos similares, o que sugere ser indivíduos de uma mesma coorte.
Thesagro: Parasito de Animal
Data Created: 2018-10-25
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CPAF-AP)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CPAFAP2018Biometriaediformismosexual.pdf333,03 kBAdobe PDFView/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace