Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1106021
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2018
Type of Material: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Authors: ROCHA, S. L. C. S.
MARTORANO, L. G.
SOUSA, A. R. B. de
MELLO, K. K. de S.
Additional Information: Samária Letícia Carvalho Silva Rocha, GRADUANDA UFOPA; LUCIETA GUERREIRO MARTORANO, CPATU; ALEXANDRA REGINA BENTES DE SOUSA, CPATU; Kelly Karoline de Souza Mello, GRADUANDA UFOPA.
Title: Condições térmicas em viveiro com criação de pirarucu (Arapaima Gigas) na comunidade Pixuna do Tapará, município de Santarém, PA.
Publisher: In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL, 22., 2018, Belém, PA. Anais... Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2018.
Pages: p. 157-162.
Language: pt_BR
Keywords: Termografia
Condição térmica
Description: termografia é considerada uma técnica de imageamento não invasiva que possibilita avaliar padrões térmicos em animais e em sua ambiência. Objetivou-se neste trabalho analisar as condições térmicas do ambiente em viveiro de pirarucu. A área de estudo situa-se na comunidade Pixuna do Tapará, Santarém, Pará. Os registros térmicos foram obtidos em câmera científica que obtém imagens no espectro infravermelho. Os termogramas foram analisados em ferramenta de tratamento de imagens (Flir tools) e os dados térmicos exportados para o Excel, onde calculou-se as médias, máximas, mínimas e amplitudes térmicas. Nos locais com maior incidência de raios solares constatou-se que a temperatura média da água no viveiro estava com 33,6 °C. No entorno do viveiro, em que predomina no solo plantios de bananeiras, a média era de 33,0°C. A sombra das bananeiras atenuavam as cargas térmicas apresentando temperaturas com valores médios de 32,5°C. Na margem sombreada no lado direito do viveiro, o valor médio foi de 31,0°C, indicando que esses locais são os preferenciais para concentração dos pirarucus em horários de elevadas temperaturas. No momento das avaliações biométricas dos pirarucus, os valores médios no globo ocular foram entre 30°C e 33°C e na cabeça dos animais entre 31°C a 34°C. Conclui-se que a tecnologia termográfica auxilia na identificação no ambiente de áreas preferenciais no viveiro à concentração dos peixes nos horários mais quentes do dia.
Thesagro: Piscicultura
Pirarucu
Data Created: 2019-02-14
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AnaisPIBIC2018158163.pdf577.66 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace