Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1111777
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Florestas - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Date Issued: 2019
Type of Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Authors: COELHO, T. A. do V.
SOARES, I. D.
DUIN, I. M.
REZENDE, E. H.
AUER, C. G.
SANTOS, A. F. dos
Additional Information: THIARE APARECIDA DO VALLE COELHO, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
IZABELA MOURA DUIN, Instituto Agronômico do Paraná – IAPAR, Londrina
IZABELE DOMINGUES SOARES, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
CELSO GARCIA AUER, CNPF
ALVARO FIGUEREDO DOS SANTOS, CNPF.
EDUARDO HENRIQUE REZENDE, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
Title: Etiologia da mortalidade de miniestacas de Eucalyptus benthamii e possíveis fontes de inóculo.
Publisher: Summa Phytopathologica, Botucatu, v. 45, n. 2, p. 157-163, 2019.
Language: pt_BR
Keywords: Complexo Calonectria scoparia
Doença em viveiro
Description: Eucalyptus benthamii é originário da Austrália, cultivado na região Sul do Brasil, devido à sua tolerância ao clima frio. Durante a produção de mudas dessa espécie vários fatores bióticos e abióticos adversos têm surgido em viveiros. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a podridão de miniestacas de E. benthamii em três clones comerciais, a patogenicidade dos principais fungos encontrados e as principais fontes de inóculo dos fungos causadores dessa doença. As coletas foram realizadas em viveiro clonal de Guarapuava/PR, em setembro de 2016 (1ª coleta) e abril de 2017 (2ª coleta). Coletaram-se miniestacas em fase de enraizamento com sintomas de podridão aparente, brotações sadias, amostras do substrato utilizado para o enraizamento, areia proveniente do minijardim clonal, tubetes, e britas provenientes do piso da estufa. Para detecção e identificação dos fungos, utilizaram-se os métodos de isolamento direto, isolamento indireto, diluição em série, teste com isca de folha de mamona (Ricinus communis) e plaqueamento de resíduos. Botrytis cinerea, Complexo Calonectria scoparia, Fusarium spp. e Pestalotiopsis sp. são os agentes causais da podridão de miniestacas em E. benthamii. Miniestaca assintomática, tubete plástico reutilizado, brita, areia e substrato reutilizado podem ser as principais fontes de inóculo.
Thesagro: Eucalipto
Botrytis Cinerea
Data Created: 2019-08-30
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPF)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019AlvaroSPEtiologia.pdf577,22 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace