Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1114923
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Agroindústria Tropical - Tese/dissertação (ALICE)
Date Issued: 2019
Type of Material: Tese/dissertação (ALICE)
Authors: SAMPAIO, A. P. C.
Additional Information: Ana Paula Coelho Sampaio, Universidade Federal do Ceará - UFC.
Title: Pegada de carbono e hidríca do cultivo de coco em sistemas de produção convencional no nordeste brasileiro.
Publisher: 2019
Pages: 124p.
Language: pt_BR
Notes: Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. Orientadora: Profª. Drª. Marta Celina Linhares Sales. Coorientadora: Profª. Drª. Maria Cléa Brito de Figueirêdo.
Keywords: Produção de coco
Mudanças climáticas
Escassez hídrica
Toxicidade
Description: A produção de coco na região Nordeste foi o equivalente a 74% da produção nacional em 2017, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Portanto, considerando à importância econômica da cultura para a região e as alterações ambientais promovidas pelas atividades agrícolas, objetiva-se neste trabalho avaliar e comparar as pegadas de carbono e hídrica do coco verde produzido nos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará e Sergipe. As pegadas foram calculadas com base nas normas ISO 14067 (pegada de carbono), ISO 14046 (pegada hídrica) e seguindo as etapas de um estudo de avaliação do ciclo de vida, conforme as normas ISO 14040 e 14044. Os dados coletados se referem a um pomar de coqueiros-anões cultivado por 17 anos e adotou-se como unidade funcional 1m3 de água de coco in natura produzida em um ano médio. As categorias de impactos consideradas nos estudos das pegadas e seus métodos de avaliação foram: i) para a pegada de carbono avaliou-se os impactos nas mudanças climáticas (IPCC); ii) para pegada hídrica, avaliaram-se a escassez hídrica (AWARE), toxicidade humana, câncer, não-câncer e ecotoxicidade em águas doces (USEtox), eutrofização marinha e de águas doces (ReCiPe midpoint). Observou-se que a fazenda de Alagoas obteve a menor pegada de carbono e hídrica. Já a fazenda do Ceará apresentou a pior pegada de carbono e hídrica em relação as outras fazendas avaliadas, devido a menor quantidade de água utilizada na irrigação e menor produção de água de coco in natura por hectare. Por fim, esse trabalho apontou a necessidade de se buscar melhorias para o sistema de produção do coco no Nordeste. Considerando os resultados da identificação dos processos críticos e a análise de cenários, tanto para a pegada de carbono como hídrica, sugere-se que a fertilização seja realizada de modo eficiente, de acordo com o recomendado e a necessidade da cultura; além da possível ampliação do período de cultivo para 30 anos, com o objetivo de se reduzir os impactos das pegadas ambientais e garantir a produtividade e sustentabilidade da cultura do coco.
Thesagro: Eutrofização
Coco
Carbono
NAL Thesaurus: Eutrophication
Toxicity
Data Created: 2019-11-22
Appears in Collections:Tese/dissertação (CNPAT)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019disapcsampaio.pdf1,43 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace