Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1122519
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Florestas - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Date Issued: 2020
Type of Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Authors: RICKEN, P.
HESS, A. F.
MATTOS, P. P. de
BRAZ, E. M.
NAKAJIMA, N. Y.
HOSOKAWA, R. T.
Additional Information: POLLYNI RICKEN, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ; ANDRÉ FELIPE HESS, UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA; PATRICIA POVOA DE MATTOS, CNPF; EVALDO MUNOZ BRAZ, CNPF; NELSON YOSHIHIRO NAKAJIMA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ; ROBERTO TUYOSHI HOSOKAWA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ.
Title: Morfometria de Araucaria angustifolia em diferentes altitudes no Sul do Brasil.
Publisher: Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 40, e201902066, 2020. 11 p.
Language: Portugues
Keywords: Análise de crescimento
Floresta com Araucária
Método de Bitterlich
Description: Os índices morfométricos podem ser usados para subsidiar o entendimento da dinâmica de florestas naturais. Diante disso, objetivou-se descrever e avaliar as características morfométricas e dendrométricas de Araucaria angustifolia, como subsídio para compreensão da estrutura da floresta natural de araucária. Os dados foram mensurados em três municípios de Santa Catarina, considerando diferentes altitudes de ocorrência da espécie, com amostragem de 247 árvores, utilizando o método de Bitterlich, sendo medida a circunferência a 1,30 m do solo, altura total e de inserção de copa e raios de copa. As relações interdimensionais das árvores foram descritas por meio de índices morfométricos. O sítio 2 apresentou árvores de maior porte em relação ao diâmetro e área de copa. O sítio 3 apresentou a maior densidade de árvores (403 árvores ha-1), enquanto nos sítios 1 e 2 foram observadas 362 e 232 árvores ha-1, respectivamente. No sítio 3, a maior parte das árvores apresentou proporção de copa superior a 50% e formal de copa menor que 1, indicando árvores de copas mais estreitas e largas. O diâmetro da árvore apresentou correlação negativa e superior a 70% com o grau de esbeltez. Nos três sítios, o diâmetro apresentou correlação positiva com o diâmetro de copa.
Data Created: 2020-05-25
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPF)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2066-20422-1-PB.pdf493,37 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace