Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1132760
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSOUSA, D. N. de
dc.date.accessioned2021-07-02T16:00:52Z-
dc.date.available2021-07-02T16:00:52Z-
dc.date.created2021-07-02
dc.date.issued2021
dc.identifier.citationEstudios Rurales, v. 11, n. 22, jan./jun. 2021.
dc.identifier.issn2250-4001
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1132760-
dc.descriptionO termo "inclusão produtiva" foi amplamente incorporado na agenda das políticas públicas para a agricultura familiar brasileira desde o começo dos anos 2000. Para além da desarticulação entre as políticas, o principal problema talvez seja o fato de que a noção de inclusão produtiva passou a balizar inúmeras políticas sem que os policy makers se preocupassem com o que realmente ela representa, ou seja, seu significado. Ademais, o fato de elas serem orientadas por diferentes referenciais, força os mediadores a articulá-las e torná-las coerentes para o público beneficiário. Também se verifica essa incógnita no meio acadêmico, onde quase sempre o termo é utilizado de forma vaga e imprecisa. Assim, a coexistência de diferentes interpretações cria distorções na formulação, implementação, execução e mesmo na avaliação de determinada política pública. O que esperar, portanto, dos mediadores sociais que atuam diretamente com os beneficiários das políticas, e que têm que traduzir os referenciais que orientam as mesmas em ações concretas? O objetivo geral desta tese, vinculada ao Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é analisar se o referencial de inclusão produtiva que orienta as políticas públicas para a agricultura familiar converge com as ideais e práticas desenvolvidas por mediadores sociais que intermedeiam (processo de tradução) o acesso às mesmas por diferentes grupos de agricultores familiares do estado do Tocantins. Dentre os objetivos específicos citam-se: a) identificar as políticas públicas para a agricultura familiar que são consideradas ?de inclusão produtiva? pelos mediadores; b) identificar e analisar os referenciais de inclusão produtiva que orientam estas políticas; c) analisar como diferentes concepções de inclusão produtiva se expressam nas ideias e práticas dos mediadores sociais; d) compreender como os mediadores interpretam, traduzem e adaptam as políticas públicas em face de suas próprias ideias e práticas.
dc.languagePortugues
dc.language.isopt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectTocantins
dc.titleMediadores sociais e políticas públicas de inclusão produtiva da agricultura familiar no Tocantins: (des)conexões entre referenciais, ideias e práticas.
dc.typeArtigo de periódico
dc.subject.thesagroPolíticas Públicas
dc.subject.thesagroTransferência de Tecnologia
dc.subject.thesagroExtensão Rural
dc.subject.thesagroAgricultura Familiar
dc.subject.thesagroInovação
dc.subject.nalthesaurusExtension programs
dc.subject.nalthesaurusPublic policy
dc.subject.nalthesaurusRural families
dc.subject.nalthesaurusRural population
dc.subject.nalthesaurusTechnology transfer
dc.description.notesTesis.
riaa.ainfo.id1132760
riaa.ainfo.lastupdate2021-07-02
dc.contributor.institutionDIEGO NEVES DE SOUSA, CNPASA.
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPASA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
er-2021.pdf248,04 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace