Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1135077
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorRODRIGUES, C. B.
dc.contributor.authorBEZERRA, C. C. de O. N.
dc.contributor.authorOLIVEIRA FILHO, J. G. de
dc.contributor.authorFERREIRA, M. D.
dc.date.accessioned2021-10-06T16:00:27Z-
dc.date.available2021-10-06T16:00:27Z-
dc.date.created2021-10-06
dc.date.issued2021
dc.identifier.citationIn: JORNADA CIENTÍFICA - EMBRAPA SÃO CARLOS, 13., 2021, São Carlos, SP. Anais... São Carlos: Embrapa Pecuária Sudeste: Embrapa Instrumentação, 2021. Editores técnicos: Alexandre Berndt, Ana Rita de Araujo Nogueira, Lea Chapaval Andri, Marcelo Mattos Cavallari, Manuel Antonio Chagas Jacinto.
dc.identifier.issn1980-6841
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1135077-
dc.descriptionÓleos essenciais (OEs) constituem os elementos voláteis contidos em uma grande variedade de órgãos vegetais, e estão relacionados com diversas funções necessárias à sobrevivência dos mesmos, exercendo papel fundamental na defesa contra microrganismos. Estima-se que cerca de 60% dos óleos essenciais possuem propriedades antifúngicas e 35% exibem propriedades antibacterianas. Dado que microrganismos fitopatogênicos são responsáveis por 10% da perda global de alimentos agrícolas, alternativas que sejam, ao mesmo tempo, sustentáveis e seguras para a saúde humana, estão sendo estudadas para o combate destes fitopatógenos. Neste contexto, objetiva-se avaliar o potencial de OEs como antimicrobianos naturais e no controle de microrganismos que deterioram alimentos. Os OEs de Hortelã-verde (Mentha spicata), Palmarosa (Cymbopogon martinii) e de Cravo (Eugenia caryophyllus) serão obtidos comercialmente e avaliados para atividade antimicrobiana, contra Penicillium sp. A metodologia seguirá àquela proposta por Tolba et al. (2015), de diluição seriada do OE em ágar. As placas serão mantidas em fotoperíodo de 12h a 25 ° C, e a inibição do crescimento fúngico nas diferentes concentrações dos óleos será medida pela equação PI (%) = (Controle do Crescimento - Crescimento do Tratamento / Crescimento do Controle) × 100. A Concentração Inibitória Mínima (CIM), quando presente, será considerada a menor concentração do tratamento, dentre as concentrações avaliadas, capaz de inibir completamente o desenvolvimento dos fungos. Espera-se que os óleos essenciais apresentem atividade contra os fungos e bactérias que deterioram frutas durante a pós-colheita, como alternativa aos antimicrobianos sintéticos.pt_BR
dc.language.isopor
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectElementos voláteis
dc.subjectMicroorganismos
dc.subjectAlimentos agrícolas
dc.titleAtividade óleos essenciais como antimicrobianos naturais em pós colheita de frutos.
dc.typeResumo em anais e proceedings
dc.format.extent213pt_BR
riaa.ainfo.id1135077
riaa.ainfo.lastupdate2021-10-06
dc.contributor.institutionMARCOS DAVID FERREIRA, CNPDIA.
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPDIA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
p-Atividade-oleos-essenciais-como-antimicrobianos-naturais-em-pos-colheita-de-frutos.pdf46,26 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace