Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1145997
Title: Estudos metabolômicos de compostos orgânicos voláteis (covs) associados à resistência de clones de cajueiro tipo anão precoce frente ao ataque de diferentes fitopatógenos.
Authors: SOUSA, D. B. DE
Affiliation: DEBORA BEZERRA DE SOUSA, Universidade Federal do Ceará.
Date Issued: 2022
Citation: 2022. Tese (Doutorado em Química Orgânica) - Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências e Tecnologia, Fortaleza.
Description: O mofo preto, a antracnose e o oídio, causadas pelos fitopatógenos Pilgeriella anacardii Arx & Müller, Colletotrichum gloeosporioides e Pseudoidium anacardii (F. Noack) U. Braun & R.T. A. Cook respectivamente, são algumas das mais importantes doenças fúngicas que se alastram com facilidade pelos pomares da cultura do cajueiro (Anacardium occidentale). No entanto, alguns clones de cajueiro tipo anão precoce apresentam diferentes respostas em relação à resistência e suscetibilidade ao ataque destes fitopatógenos, sendo os mecanismos para esse comportamento ainda não esclarecidos. Neste trabalho, o perfil de compostos orgânicos voláteis (COVs) emitidos pelas folhas e castanhas de quatro tipos de clones de cajueiro anão precoce (?CCP76?, ?BRS226?, ?BRS189? e ?BRS265?) com diferentes níveis de resistência e suscetibilidade às doenças mencionadas, foi investigado ao longo dos meses de março a dezembro de 2019, por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG-EM). Os resultados obtidos permitiram identificar um total de 116 COVs oriundos das folhas e 40 COVs das castanhas, caracterizados como terpenos, álcoois, ésteres, aldeídos, cetonas e hidrocarbonetos. A partir destes dados, a construção de gráficos de análise multivariada (HCA, PLS-DA e OPLS-DA) mostraram diferenças significativas entre o perfil dos COVs dos clones resistentes, em relação aos suscetíveis aos fitopatógenos. Nestas análises foi possível verificar que compostos como 3-hexen-1-ol, (Z)-2-hexen-1-ol, (E)-2-hexen-1-ol, 1-hexanol, α-pineno, β-mirceno, salicilato de metila e α-copaeno podem contribuir para a maior resistência dos clones ?BRS226? e ?BRS265? em relação ao mofo preto, enquanto que os compostos (E)-2- hexenal, (E)-3-hexen-1-ol, α-terpineno, γ-terpineno, β-pineno, observados nos clones ?CCP76?, ?BRS226? e ?BRS189?, estão relacionado à resistência à antracnose. Os compostos isovalerato de etila, tiglato de etila, hexanoato de etila, 3-metil-pentanoato de etila, α-pineno, β-pineno foram identificados nas castanhas de caju como os compostos que possivelmente contribuem para a maior resistência dos clones ?CCP76?, ?BRS226? e ?BRS265? em relação ao oídio. Estes resultados corroboram os dados da literatura que sugerem os COVs como agentes de biocontrole na prevenção de pragas agrícolas.
Thesagro: Resistência
Mofo Preto
Antracnose
Oídio
NAL Thesaurus: Pest resistance
Anthracnose
Powdery mildew
Biomarkers
Keywords: CG-EM
Análises quimiométricas
Biomarcadores
Suscetibilidade
Susceptibility
Black mold
Chemometric analyses
Notes: Coorientador: Dr. Guilherme Julião Zocolo
Type of Material: Teses
Access: openAccess
Appears in Collections:Tese/dissertação (CNPAT)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TS-2022.007.pdf9,34 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace