Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/152162
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorTAVARES, S. C. C. de H.
dc.contributor.authorSILVA, P. C. G. C.
dc.contributor.authorLIMA, M. L. C.
dc.contributor.authorPETEROSSI, J. N.
dc.contributor.authorNEVES, R. A. F.
dc.contributor.authorCOSTA, V. S. O.
dc.contributor.authorMENEZES, C. A. F.
dc.contributor.authorCOSTA, N. D.
dc.contributor.otherSELMA CAVALCANTI CRUZ DE H TAVARES, CPATSA; NIVALDO DUARTE COSTA, CPATSA.
dc.date.accessioned2018-11-27T23:32:37Z-
dc.date.available2018-11-27T23:32:37Z-
dc.date.created2003-10-24
dc.date.issued2003
dc.identifier.other27418
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/152162-
dc.descriptionObjetivando-se desenvolver práticas agrícolas no controle do Oídio (Sphareoteca fuliginea) com a alternância no uso de defensivos, avaliou-se o comportamento de diferentes produtos químicos e biológico no controle da doença de ocorrência significativa na região semi-árida pernambucana. O experimento foi conduzido em Petrolina-PE, no segundo semestre de 2001. Foram instalados oito tratamentos, sendo o biológico Biomix (Trichoderma spp.) e os químicos Flamenco (Fluquinconazole), Palisade (Fluquinconazole), mais duas testemunhas, uma relativa com o Folicur 200 CE (Tebuconazole) e uma absoluta. Os produtos químicos foram aplicados no início dos sintomas em quatro pulverizações e em intervalos de sete dias. O produto biológico teve dois tratamentos, um de controle preventivo e outro curativo. O delineamento foi o de blocos ao acaso com quatro repetições. As avaliações visuais foram semanais empregando-se uma escala com grau de infecção do percentual de área da folha com sintoma. Os resultados revelam uma significância entre os tratamentos, ficando a melhor eficiência de controle curativo para (Folicur 200 CE - 100ml/100L d’água) e (Palisade - 60g/100L d’água). O tratamento biológico - Biomix 500ml/100L d’água, sobressai-se quando aplicado preventivamente.
dc.description.uribitstream/item/187102/1/sELMA.pdfpt_BR
dc.languagept_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherHorticultura Brasileira, Brasília, v. 21, n. 2, p. 334, jul. 2003.
dc.relation.ispartofEmbrapa Semiárido - Artigo em anais de congresso (ALICE)
dc.subjectSphaeroteca fuliginea
dc.titlePráticas de controle do oídio do meloeiro no Vale de São Francisco.
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)
dc.date.updated2018-11-27T23:32:37Zpt_BR
dc.subject.thesagroControle Biológico
dc.subject.thesagroControle Químico
dc.subject.thesagroCucumis Melo
dc.subject.thesagroMelão
dc.subject.nalthesaurusMelons
dc.description.notesSuplemento 1. Edição dos Resumos do 43 Congresso Brasileiro de Olericultura, Recife, jul. 2003.
dc.ainfo.id152162
dc.ainfo.lastupdate2018-11-27
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPATSA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
sELMA.pdf61,49 kBAdobe PDFView/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace