Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/164388
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia - Tese/dissertação (ALICE)
Date Issued: 2007
Type of Material: Tese/dissertação (ALICE)
Authors: MEDEIROS, M. A. de
Title: Papel da biodiversidade no manejo da traça-do-tomateiro Tuta absoluta (Meyrick, 1917) (Lepidoptera: Gelechiidae).
Publisher: 2007
Pages: 145 f.
Language: pt_BR
Notes: Tese (Doutorado em Ecologia) - Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Brasília, Brasília, DF. Orientadora: Helena Castanheira de Morais, Universidade de Brasília e co-orientador: Edison Ryoiti Sujii, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.
Keywords: Agroecologia
Controle biolótico.
Description: A diversificação ambiental promovida pelas espécies vegetais em agroecossistemas favorecem a estruturação de comunidades de insetos mais ricas e diversificadas que controlam a dinâmica populacional de espécies herbívoras. Dentro da abordagem agroecológica, a diversificação ambiental é um dos componentes que podem ser manejados para suprimir as populações de insetos pragas. O objetivo do trabalho foi comparar a flutuação populacional da traça-do-tomateiro Tuta absoluta (Meyrick, 1917) (Lepidóptera: Gelechiidae) nos sistemas orgânico e convencional para verificar se os danos causados pela traça-do-tomateiro são influenciados pelo grau de complexidade do ambiente, bem como, avaliar se a diversificação de espécies associadas ao plantio do tomateiro pode melhorar o desempenho dos inimigos naturais e assim influenciar a população da traça-do-tomateiro. No capítulo 1, a flutuação populacional da traça-do-tomateiro e a ocorrência de agentes de controle natural foram comparadas em sistema orgânico e convencional de cultivo do tomateiro, quando plantado solteiro ou consorciado ao coentro Coriandrum sativum Linnaeus (Apiaceae) e ao botão-de-ouro, Galinsoga parviflora Cavo (Asteraceae). Os tratamentos orgânicos e com maior diversidade de plantas apresentaram nível populacional da traça três vezes menor, quando comparado com o sistema convencional, principalmente nos estágios de ovo e adulto, além de maior diversidade e abundância de inimigos naturais. Baseado nos dados obtidos no capítulo 1, o coentro C. sativum foi considerado como uma planta adequada para diversificar o sistema do tomateiro, por incrementar os inimigos naturais e ao mesmo tempo apresentar menor grau de competição com a cultura alvo. Dessa forma, o coentro foi escolhido para constituir um consórcio com o tomateiro. No capítulo 2, a flutuação populacional da traça-do-tomateiro e a ocorrência de seus inimigos naturais foram comparados em sistema orgânico e convencional do tomateiro quando plantado solteiro ou associado ao coentro em diferentes estágios fenológicos. O objetivo foi avaliar como o consórcio, associado às práticas agrícolas menos perturbadora, poderia maximizar as vantagens agronômicas de uso da terra e ao mesmo tempo favorecer os inimigos naturais que afetam a flutuação populacional da traça-do-tomateiro. Como resultado, obteve-se que os tratamentos de tomate-coentro em sistema orgânico apresentaram menores densidades populacionais de ovos e lagartas, bem como maior diversidade e abundância de inimigos naturais quando plantados antes do tomateiro. A abundância de outros herbívoros foi maior nos tratamentos orgânicos, demonstrando que o uso freqüente de inseticidas elimina herbívoros em geral, selecionando a praga-chave da cultura, traça-do-tomateiro. O padrão de menor colonização por adultos da traça, resultando em menos ovos, e maior abundância de inimigos naturais foi observado nos experimentos iniciais de campo. Visando entender a importância dos inimigos naturais e o controle biológico natural da dinâmica populacional da traça-do-tomateiro, o capítulo 3 analisou a importância relativa de cada fator de mortalidade, como predadores, parasitóides e mecânicos como a água da irrigação e chuva, em sistema orgânico e convencional do tomateiro, quando plantado solteiro ou consorciado. O objetivo foi quantificar a importância de cada fator na sobrevivência da traça-do-tomateiro. A mortalidade por Trichogramma sp. (Hymenoptera: Trichogrammatidae) foi maior (32%) em ovos coletados no campo e incubados em laboratório. Por outro lado, sob condições ambientais (ovos que permaneceram no campo), a ação dos predadores e o efeito mecânico da água produziram 48% de mortalidade dos ovos, enquanto que o parasitismo por Trichogramma sp. foi de 12%. A traça-do-tomateiro apresentou maior aptidão para colonizar o sistema convencional de cultivo do tomateiro em relação ao orgânico em estudos prévios realizados no campo. Visando confirmar e entender os padrões observados no campo, o capítulo 4 abordou aspectos ecológicos como oviposição mortalidade, que foram comparados em condições semi controladas em plantas cultivadas em solo proveniente do sistema orgânico e convencional. A oviposição pela traça-do-tomateiro em plantas com solos oriundos do sistema convencional foi duas vezes maior do que em plantas com solos do sistema orgânico. O estudo da tabela de vida da traça-do-tomateiro em casa de vegetação mostrou que a sobrevivência em plantas com solo orgânico e convencional foram iguais. Assim, as diferenças no comportamento de colonização observadas a campo provavelmente estão relacionadas com o ambiente proporcionado pelo sistema orgânico de produção. Os predadores Chrysoperla externa (Hagen) (Neuroptera: Chrysopidae) e Hippodamia convergens Guérin-Menéville (Coleoptera: Coccinelidae) são frequentemente observados em cultivos de hortaliças, especialmente tomateiros, bem como sobre flores de diversas plantas próximas aos cultivos. Sabe-se que os predadores quando se alimentam de pólen e néctar, aumentam a sua longevidade e a sua capacidade reprodutiva. O capítulo 5 abordou as plantas que poderiam servir de fonte de alimentação para as espécies selecionadas, com vistas a desenvolver estratégias para atrair e manter estas espécies em cultivos de hortaliças, especialmente de tomateiro. Pólen da Família Poaceae foi o mais abundante para C. externa e pólen da Família Asteraceae foi o mais comum para H. convergens. O uso do pólen como no entorno da cultura, para o estabelecimento das populações desses predadores e incremento recurso alimentar para cada espécie predadora dá indicações da importância da flora dentro e do controle biológico conservativo. Estes resultados experimentais mostraram que o incremento de inimigos naturais nos agroecossistemas pode ser alcançado pela inclusão de biodiversidade funcional, proporcionando um manejo adequado com redução dos danos. Esta tese é apresentada em cinco capítulos, no formato de manuscritos. Os capítulos foram formatados seguindo as normas da revista Neotropical Entomology, inclusive para as normas de citações bibliográficas. PALAVRAS-CHAVE: agroecologia, controle biológico conservativo, ecologia nutricional, interação inseto-planta, flutuação populacional.
Thesagro: Ecologia
Flutuação Populacional.
Data Created: 2008-02-18
Appears in Collections:Tese/dissertação (CENARGEN)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tesemariaalicemedeiros2007.pdf753,42 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace