Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/282262
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSCHREINER, H. G.pt_BR
dc.contributor.authorBAGGIO, A. J.pt_BR
dc.date.accessioned2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created1996-10-08pt_BR
dc.date.issued1984pt_BR
dc.identifier.citationBoletim de Pesquisa Florestal, Curitiba, n. 8/9, p. 26-49, jun./dez. 1984.pt_BR
dc.identifier.issn0101-1057pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/282262pt_BR
dc.descriptionEste trabalho foi planejado com o objetivo de se avaliar, na região dos Campos Gerais do Paraná, o rendimento de associações de Pinus taeda L. com milho (Zea mays L.), em função de três densidades populacionais desta cultura: 50 mil, 67 mil e 83 mil plantas/ha, dispostas, respectivamente, em duas, três e quatro linhas, entre as linhas do Pinus plantado no espaçamento de 3 x 2 m. O plantio do Pinus e o da primeira cultura de milho foram efetuados no ano agrícola 1981/82; duas novas culturas de milho foram plantadas em 1982 e em 1983. Até a terceira colheita do milho, não se registraram diferenças entre as sobrevivências do Pinus associado com duas, três e quatro linhas do cereal, nem entre estas e as da testemunha sem consórcio (média de 91,33%). Quanto à altura e ao diâmetro da espécie florestal, no entanto, os incrementos registrados no consórcio com quatro linhas de milho (3,65 m e 5,73 cm) foram menores que na testemunha sem consórcio (4,17 m e 6,92 cm), enquanto que nos consórcios com duas e três linhas, estes ficaram em posição intermediária. As produções de milho, no primeiro e no segundo ano, propiciaram, respectivamente, retornos sobre o capital investido nesta cultura, da ordem de 135 e 94%. Já no terceiro ano, quando o desenvolvimento do Pinus tornou-se suficiente para sombrear parcialmente a cultura agrícola, sua produção foi deficitária, embora em pequeno grau. A população de 50 mil plantas de milho por hectare, dispostas em duas linhas, entre as linhas do Pinus, mostrou-se a mais indicada para o sistema.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectSistema agroflorestalpt_BR
dc.subjectConsorciacao de culturaspt_BR
dc.subjectCrop associationspt_BR
dc.titleCulturas intercalares de milho (Zea mays L.) em reflorestamentos de Pinus taeda L. no sul do Paraná.pt_BR
dc.typeArtigo de periódicopt_BR
dc.date.updated2015-02-10T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroAgrossilviculturapt_BR
dc.subject.thesagroMilhopt_BR
dc.subject.thesagroPinus Taedapt_BR
dc.subject.thesagroZea Mayspt_BR
dc.subject.nalthesaurusagroforestrypt_BR
dc.subject.nalthesauruscornpt_BR
riaa.ainfo.id282262pt_BR
riaa.ainfo.lastupdate2015-02-10pt_BR
dc.contributor.institutionSchreiner e Baggio, EMBRAPA-URPFCS.pt_BR
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPF)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
schreiner.pdf508,5 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace