Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/409618
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Issue Date: 2007
Type of Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Authors: GAIA, J. M. D.
MOTA, M. G. C.
DERBYSHIRE, M. T. V. C.
OLIVEIRA, V. R.
COSTA, M. R.
MARTINS, C. da S.
POLTRONIERI, M. C.
Additional Information: José M. Gaia, UFRA; Milton G. Mota, UFRA; Maria Tereza V. Derbyshire, Centro de Energia Nuclear na Agricultura; Viseldo R. Oliveira, Centro de Energia Nuclear na Agricultura; MARIA ROSA TRAVASSOS DA ROSA COSTA, CPATU; CARLOS DA SILVA MARTINS, CPATU; MARLI COSTA POLTRONIERI, CPATU.
Title: Caracterização de acessos de pimenta-do-reino com base em sistemas enzimáticos.
Publisher: Horticultura brasileira, Brasília, DF, v. 25, n. 3, p. 333-342, jul./set. 2007.
Language: pt_BR
Notes: Título em inglês: Characterization of black pepper accessions using isozymes. Publicado também on-line.
Keywords: Pimenta-do-reino.
Description: Setenta e oito acessos de pimenta-do-reino, incluindo algumas espécies silvestres foram submetidos à análise eletroforética de isoenzimas em gel de poliacrilamida, visando distinguir diferenças fenotípicas que auxiliem na discriminação e seleção dos acessos. Foram utilizados os sistemas enzimáticos SKDH, GOT, ACP, ACO, PGI, FUM, 6PGDH e G6PDH. O polimorfismo de isoenzimas foi avaliado pelo número de alozimas com diferentes mobilidades por sistema enzimático, pelas freqüências de alozimas dentro de cada sistema enzimático em relação ao total de bandas do sistema e pela análise da similaridade genética, com base na ausência e presença de bandas. Todos os sistemas enzimáticos utilizados tiveram boa resolução e definição de bandas, com ênfase para SKDH, 6PGDH, PGI e ACP. Em sua totalidade, os sistemas apresentaram polimorfismo capaz de caracterizar e identificar acessos ou grupos de pequeno número de acessos, sendo que o sistema GOT foi o que apresentou maior variabilidade de alozimas e de perfis; e o que apresentou menor variabilidade foi o sistema FUM, com três alozimas e quatro perfis. Cinqüenta e sete por cento das alozimas podem ser usadas para caracterizar e identificar clones ou grupos de clones. Cerca de 64% dos acessos analisados podem ser identificados por um a seis fenótipos individuais de sistemas enzimáticos. A análise da similaridade indicou os grupos G1, G2 e G3 como os mais divergentes da coleção, os quais são indicados para cruzamentos intraespecíficos e interespecíficos visando a obtenção de clones superiores.
Thesagro: Germoplasma
Isoenzima
Piper Nigrum
Polimorfismo.
Year: 2008-04-25
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CPATU)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
a04v25n3.pdf429,53 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace