Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/472703
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorWAQUIL, J. M.pt_BR
dc.contributor.authorSCHAFFERT, R. E.pt_BR
dc.contributor.authorJOHNSON, J. W.pt_BR
dc.date.accessioned2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.accessioned2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created1996-09-26pt_BR
dc.date.issued1980pt_BR
dc.identifier.citationIn: REUNIÃO BRASILEIRA DE MILHO E SORGO, 13., 1980, Londrina. Coletânea de resumos. Londrina: IAPAR, 1980. p. 151.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/472703pt_BR
dc.descriptionA mosca do sorgo Contarinia sorghicola (Coq.1898) e a praga mais importante para a cultura do sorgo, visando a producao de graos. No atual estagio de pesquisa o metodo de controle mais promissor em relacao a essa praga e o de resistencia de plantas. Existem, na literatura, trabalhos indicando fontes de resistencia de diferentes origens. Segundo dados obtidos no Brasil, a melhor fonte tem sido AF-28. O objetivo principal do presente trabalho foi avaliar uma colecao de materiais citados como resistentes, que fazem parte do banco de germoplasma de sorgo do CNPMS, ao lado de progenies F-6 do cruzamento entre AF28 e a linhagem Tx 2536. Para este estudo, foram realizados dois ensaios em condicoes de campo. Um em Ribeirao Preto, SP, sob infestacao natural e outro em Sete Lagoas, MG, com infestacao artificial. No primeiro caso, quando o campo apresentava-se florescido, cerca de 50 plantas, por entrada, foram etiquetadas segundo o estagio de florescimento da panicula assim classificado: O inicio de florescimento; 1 de 1-20%; 2 de 21-40%; 3 de 41-60%; 4 de 61-80%; 5 de 81-100% de florescimento. Apos a granacao, os dados da mosca foram estimados pela escala visual de notas de Wiseman e McMillian (1968), que varia de 0 (zero) a 10 (dez). As entradas foram comparadas entre si em cada estagio de florescimento. No segundo ensaio, dois tipos de infestacao artificial foram realizados: primeiramente, utilizando-se de gaiolas, confinou-se cerca de 200 adultos em cada panicula florescida, em tres repeticoes, para cada entrada...pt_BR
dc.languageenpt_BR
dc.language.isoengeng
dc.rightsopenAccesseng
dc.subjectFitossanidadept_BR
dc.subjectPragaspt_BR
dc.subjectRibeirao Pretopt_BR
dc.subjectSao Paulopt_BR
dc.subjectSete Lagoaspt_BR
dc.subjectMinas Geraispt_BR
dc.subjectBrasilpt_BR
dc.subjectPestpt_BR
dc.subjectSorghumpt_BR
dc.subjectResistancept_BR
dc.titleComportamento de fontes de resistência em relação à mosca do sorgo.pt_BR
dc.typeParte de livropt_BR
dc.date.updated2018-07-19T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroContarinia Sorghicolapt_BR
dc.subject.thesagroPragapt_BR
dc.subject.thesagroResistênciapt_BR
dc.subject.thesagroSorgopt_BR
dc.subject.thesagroSorghum Bicolorpt_BR
dc.subject.nalthesaurusBrazilpt_BR
riaa.ainfo.id472703pt_BR
riaa.ainfo.lastupdate2018-07-19 -03:00:00pt_BR
dc.contributor.institutionEMBRAPA-CNPMS; ROBERT EUGENE SCHAFFERT, CNPMS.pt_BR
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPMS)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Comportamentofontes.pdf525,38 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace