Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/48533
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorKATIKI, L. M.por
dc.contributor.authorCHAGAS, A. C. de S.por
dc.contributor.authorOLIVEIRA, M. C. de S.por
dc.contributor.authorVERÍSSIMO, C. J.por
dc.contributor.authorFERRENZINI, J.por
dc.contributor.otherLUCIANA MORITA KATIKI, APTA-IZ - Pós Graduanda Unesp-Botucatu; ANA CAROLINA DE SOUZA CHAGAS, CPPSE; MARCIA CRISTINA DE SENA OLIVEIRA, CPPSE; Cecilia José Veríssimo, APTA-IZ.; Jeniffer Ferrenzini, UNICEP.por
dc.date.accessioned2015-01-23T08:57:43Z-
dc.date.available2015-01-23T08:57:43Z-
dc.date.created2008-10-08por
dc.date.issued2008por
dc.identifier.other17870por
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/48533por
dc.descriptionA crescente resistência do carrapato R. microplus aos acaricidas sintéticos tornou-se grande problemas para os pecuaristas brasileiros. O uso de extratos de várias plantas têm demonstrado atividade acaricida e sua aplicação é uma alternativa ao uso de produtos com alta toxicidade. Assim, o objetivo do trabalho foi verificar a ação acaricida dos óleos essenciais de Mentha piperita, Cymbopogon scoenanthus, Cymbopogon martinii e Rosmarinus officinalis sobre larvas de R. microplus. O experimento foi realizado no Laboratório de Sanidade Animal da Embrapa (São Carlos-SP). Os óleos essenciais foram adquiridos comercialmente, solubilizados com Tween 80 a 1% e diluídos com água nas concentrações 2,5%, 5% e 10%. Aproximadamente 100 larvas foram colocadas entre quadrados de papel filtro (2x2) recém impregnados com as diferentes concentrações de óleo e inseridas em envelopes, também de papel filtro e vedado com pregadores de plástico. Todos os testes foram feitos com 3 repetições. As amostras ficaram em estufa a 27°C e aproximadamente 80% UR. As leituras foram feitas após 24 horas, contando-se as larvas vivas e as mortas com auxílio de uma bomba a vácuo com uma ponteira adaptada à ponta. Os óleos de C. scoenanthus, C. martinii e M. piperita apresentaram 100% de eficácia em todas as concentrações testadas contra as larvas de carrapato. O óleo de R. officinalis a 10% apresentou 92,69% de eficácia; a 5%, 96,3% de eficácia e a 2,5% não apresentou eficácia, ficando todas as larvas vivas. O teste controle com água+Tween 80 (1%) resultou em 100% das larvas vivas. O uso potencial desses extratos está sendo melhor investigado visando sua aplicabilidade.por
dc.description.uribitstream/item/116315/1/17870.pdfpor
dc.format1 CD-ROMpor
dc.languagept_BRpor
dc.language.isoporpor
dc.publisherIn: CONGRESSO BRASILEIRO DE PARASITOLOGIA VETERINÁRIA, 15.; SEMINÁRIO DE PARASITOLOGIA VETERINÁRIA DOS PAÍSES DO MERCUSUL, 2., 2008, Curitiba. Anais... Curitiba: CBPV, 2008.por
dc.relation.ispartofEmbrapa Pecuária Sudeste - Resumo em anais de congresso (ALICE)por
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectCymbopogon scoenanthus.por
dc.titleAtividade dos óleos essenciais de mentha piperita, cymbopogon scoenanthus, cymbopogon martinii e rosmarinus officinalis sobre larvas de rhipicephalus (boophilus) micropluspor
dc.typeResumo em anais de congresso (ALICE)por
dc.date.updated2015-01-23T08:57:43Zpor
dc.subject.thesagroCymbopogon Martinipor
dc.subject.thesagroMentha Piperita.por
dc.subject.nalthesaurusRhipicephalus.por
dc.ainfo.id48533por
dc.ainfo.lastupdate2015-01-22por
Aparece nas coleções:Resumo em anais de congresso (CPPSE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
17870.pdf298,1 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace