Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/630313
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Agrobiologia - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Date Issued: 2008
Type of Material: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Authors: MORAES, L. F. D. de
CAMPELLO, E. F. C.
PEREIRA, M. G.
LOSS, A.
Additional Information: Luiz Fernando Duarte de Moraes, IBAMA; Eduardo Francia Carneiro Campello, Embrapa Agrobiologia; Marcos Gervásio Pereira, UFRRJ; Arcângelo Loss, UFRRJ.
Title: Caracteristicas do solo na restauração de áreas degradadas na reserva biológica de Poço das Antas, RJ.
Publisher: Ciência Florestal, Santa Maria, v. 18, n. 2, p. 193-206, abr./jun. 2008.
Language: pt_BR
Notes: Parceria: IBAMA; UFRRJ.
Keywords: Poço das Antas
RJ.
Description: O primeiro passo para garantir o sucesso da restauração de uma área degradada e restabelecer as taxas de ciclagem de nutrientes e os níveis de matéria orgânica no solo. Para avaliar as alterações no solo em áreas sob restauração na Reserva Biológica de Poço das Antas, foram coletadas amostras em áreas de floresta madura, plantios mistos de espécies arbóreas nativas com 8 anos de vida e pastagens abandonadas, nas várzeas e morrotes. a delineamento experimental foi 0 inteiramente casualizado. As amostras foram coletadas nas profundidades de 0-2,5 cm; 2-5-7,5 cm; e 7,5-20 cm, sendo avaliados 0 pH do solo e os teores de AI, Ca + Mg, P, K, C e N do solo. as plantios da várzea apresentaram teores de Ca + Mg, K, C e matéria orgânica do solo (MOS) superiores aos dos outros tratamentos, indicando o rápido estabelecimento de altas taxas de ciclagem de nutrientes e alta taxa de atividade biológica. as valores das bases trocáveis foram mais, altos para a camada mais superficial, pela maior proximidade com a serapilheira. A estabilidade do solo foi 'alta para todos os tratamentos que apresentaram relação C:N abaixo de 12:1. Para estimar a forma como a MOS esta armazenada foi feito 0 fracionamento químico pela obtenção de extratos ácidos e alcalinos, que apontou maior produção de ácidos fúlvicos (AF) e húmicos (AR), e huminas (HU) no plantio de várzea, para as três profundidades de solo. a plantio no morrote apresentou maiores valores para a rela'(ao (AF+AH)/HU, 0 que sugere uma menor estabilidade nesse tratamento. as resultados indicam que os plantios tem alto potencial para restabelecer as taxas de ciclagem de nutrientes e os teores de matéria orgânica do solo no curto prazo, e que as áreas de morrote necessitam de técnicas adicionais para acelerar 0 desenvolvimento dos plantios. A project to restore a degraded area must firstly reestablish organic soil matter and nutrient cycling process. In order to evaluate the influence of indigenous tree plantations on changings in soil fertility and organic matter dynamics, an experiment was installed at the Poço das Antas Biological Reserve, an Atlantic Rain Forest remnant of ca. 5,200. Six treatments involved mature forests (F), 8-year-old mixed plantations of indigenous tree species (P), and abandoned pastures (G), at both the flooding (V) and the sloping (M)'areas of the Reserve. The experimental design was completely randomized. Soil samples were collected at the layers 0-2.5cm; 2-5-7.5cm; and 7.5-20cm to evaluate soil pH, and AI, Ca+Mg, P, K, C and N contents. The PV treatment showed higher values for the exchangeable cations, C and soil organic matter (SOM) contents, indicating high cycling rates and biological activity. Soil stability was considered to be high in all treatments, since C:N ratio was lower than 12: 1. Organic matter fragmentation showed a higher amount of fulvic acids (FA), humic acids (HA) and humin (HU) in the PV treatment, for the three soil layers. The plantation on the sloping areas (PM) showed the highest values of (FA+HA)/HU ratio, suggesting a lower stability condition.
Thesagro: Fertilidade do Solo.
Data Created: 2008-11-13
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPAB)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CARACTERISTICASDOSOLONARESTAURACAODEAREASDEGRADADASNARESERVA.pdf205,79 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace