Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/869264
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorFASIABEN, M. do C. R.pt_BR
dc.contributor.authorMAIA, A. G.pt_BR
dc.contributor.authorTAMBOSI, L. R.pt_BR
dc.contributor.authorROMEIRO, A. R.pt_BR
dc.contributor.otherMARIA DO CARMO RAMOS FASIABEN, CNPTIA, IE/UNICAMP; ALEXANDRE GORI MAIA, IE/UNICAMP, USP; LEANDRO REVERBERI TAMBOSI, USP; ADEMAR RIBEIRO ROMEIRO, IE/UNICAMP.pt_BR
dc.date.accessioned2011-04-09T17:50:59Z-
dc.date.available2011-04-09T17:50:59Z-
dc.date.created2010-12-09pt_BR
dc.date.issued2009pt_BR
dc.identifier.other15390pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/869264pt_BR
dc.descriptionEste trabalho tem por objetivo avaliar a cobertura com vegetação natural em diferentes tipos de unidades de produção agropecuárias, e é parte de um estudo em que se avaliam os impactos econômicos da reserva legal florestal sobre distintos tipos de produtores. A região escolhida para análise foi a Microbacia do Rio Oriçanga, que é representativa da estrutura produtiva altamente diversificada da região Nordeste do Estado de São Paulo. Elaborou-se inicialmente uma tipologia de unidades de produção agropecuária, a partir de dados do Levantamento de Unidades de Produção Agropecuária do Estado de São Paulo (LUPA), empregando-se análise estatística multivariada. A estimativa da quantidade de vegetação natural dentro das propriedades típicas se fez através de técnicas de geoprocessamento. Os resultados, além de descreverem a estrutura produtiva de cada um dos oito tipo encontrados, fornecem uma estimativa dos remanescentes de vegetação natural mantidos por cada um deles. Os resultados evidenciam que, em média, cerca de 43% das Áreas de Proteção Permanentes (APPs) das unidades de produção analisadas estão cobertas com vegetação natural e que perto de 7,5% das áreas das unidades de produção representam áreas de vegetação natural fora das APPS, passíveis, em princípio, de serem averbadas como reserva legal, porém com importante variação entre os diversos tipos estudados. As análises conduzidas considerando a diferenciação dos produtores poderiam abalizar políticas agroambientais, uma vez que existe uma variedade muito grande de situações.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/23987/1/GT4-256-140-20090715162414.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA ECOLÓGICA, 8., 2009, Cuiabá. Aplicando a Economia Ecológica para o desenvolvimento sustentável. [S.l.: s.n.], 2009.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Informática Agropecuária - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectVegetação naturalpt_BR
dc.subjectTipificação de produtorespt_BR
dc.subjectÁrea de Proteção Permanentept_BR
dc.subjectReserva Legalpt_BR
dc.subjectMicrobacia do Rio Oriçangapt_BR
dc.subjectAreas of permanent preservationpt_BR
dc.subjectLegal reserve.pt_BR
dc.titleRemanescentes de vegetação natural em diferentes tipos de unidades de produção agropecuária na microbacia do rio Oriçanga - São Paulo.pt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2020-01-27T11:11:11Zpt_BR
dc.format.extent2p. 1-22.pt_BR
dc.ainfo.id869264pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2020-01-27 -02:00:00pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CNPTIA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GT425614020090715162414.pdf1,98 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace