Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/877493
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCARVALHO, J. C. B. dept_BR
dc.contributor.authorGREGO, C. R.pt_BR
dc.contributor.authorVIERIA, S. R.pt_BR
dc.contributor.authorESPINDOLA, C. R.pt_BR
dc.contributor.otherJOSEANA CARINA BORGES DE CARVALHO, UNICAMP; CELIA REGINA GREGO, CNPM; SIDNEY ROSA VIEIRA, IAC; CARLOS ROBERTO ESPINDOLA, IAC.pt_BR
dc.date.accessioned2011-04-09T16:20:19Z-
dc.date.available2011-04-09T16:20:19Z-
dc.date.created2011-02-16pt_BR
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.other3020pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/877493pt_BR
dc.descriptionA retirada de espessas camadas de solo para construção de usinas hidrelétricas provoca grandes modificações ambientais, como a exposição do substrato e compactação do solo devido ao tráfego de máquinas pesadas. A análise da variabilidade espacial dos solos permite detectar estes impactos de modo eficaz e aperfeiçoa o gerenciamento das atividades futuras nestas áreas. O objetivo do trabalho foi avaliar a variabilidade espacial da estrutura, porosidade e densidade do solo em diferentes condições de uso do solo na área de empréstimo para construção da Hidrelétrica de Ilha Solteira (SP). A amostragem dos solos foi efetuada numa grade de 30 pontos de 30 x 40 m em até 0,02 m de profundidade sob os diferentes usos do solo: substrato degradado (SD); substrato com lodo de esgoto e plantado com eucalipto (SDLE); solo com pastagens (SP); capoeira em regeneração (SR) e solo sob cerrado (SC). Avaliou-se a porosidade total do solo (m3.m-3), a densidade do solo (Mg.m-3), o diâmetro médio ponderado ? DMP (mm) dos agregados determinados por via úmida e os percentuais dos agregados determinados pelo método do simulador de chuva. A análise geoestatística foi efetuada a partir do exame do parâmetro de ajuste do semivariograma, interpolação por krigagem e a construção de mapas de isolinhas. Houve dependência espacial, com alcance variando de 8 a 12 metros, nas condições de uso do solo SD e SR para os agregados, no SR para macroporosidade, porosidade total e densidade do solo, no SP para os agregados, microporosidade e porosidade total, no SC para os agregados e no LE para microporosidade. Foram identificadas manchas de dependência espacial bem definidas nos mapas dos atributos do solo, que foram caracterizados tanto por valores altos quanto baixos numa mesma área, e, portanto, torna-se inadequado considerar tais áreas como homogêneas para atividades agropecuárias futuras.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/27388/1/variab-espacial-joseane.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: CONGRESO INTERNACIONAL DE INGENIERÍA AGRÍCOLA, 1., 2010, Chillán, Chile. Anales... Chillán, Chile: Universidad de Concepción, 2010.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Territorial - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectVariabilidade espacialpt_BR
dc.subjectAgregados do solopt_BR
dc.subjectGeoestatísticapt_BR
dc.titleVariabilidade espacial de atributos físicos do solo em áreas de empréstimo para construção da hidrelétrica de Ilha Solteira (SP).pt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2019-05-03T11:11:11Zpt_BR
dc.format.extent213 p.pt_BR
dc.ainfo.id877493pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2019-05-03 -03:00:00pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CNPM)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
variabespacialjoseane.pdf676,32 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace