Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/878770
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorFERREIRA, M. das G. R.pt_BR
dc.contributor.authorSANTOS, M. R. A. dospt_BR
dc.contributor.authorSILVA, E. de O.pt_BR
dc.contributor.authorGONÇALVES, E. P.pt_BR
dc.contributor.authorALVES, E. U.pt_BR
dc.contributor.authorBRUNO, R. de L. A.pt_BR
dc.date.accessioned2011-04-09T18:51:41Z-
dc.date.available2011-04-09T18:51:41Z-
dc.date.created2011-02-24pt_BR
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.citationSeparata de: Semina. Ciências Agrárias, Londrina, v.31, n.2, p. 373-380, abr.-jun. 2010.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/878770pt_BR
dc.descriptionO objetivo desse trabalho foi testar a influência de diferentes substratos na emergência e no crescimento inicial de plântulas de biribá. As sementes foram escarificadas na região oposta à de emissão da radícula e, em seguida, semeadas em diferentes substratos: areia lavada (T1); vermiculita (T2); bioplant® (T3); plantmax® (T4); areia lavada + vermiculita 1:1 (T5); areia lavada + bioplant® 1:1 (T6); areia lavada + plantmax® 1:1 (T7); areia lavada + vermiculita 3:1 (T8); areia lavada + bioplant® 3:1 (T9); e areia lavada + plantmax® 3:1 (T10). Foram avaliados porcentagem de emergência das plântulas, índice de velocidade de emergência e crescimento das plântulas (comprimento e massa seca de raiz e parte aérea). O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com 10 tratamentos, em quatro repetições de 25 sementes. Os dados foram submetidos à análise de variância e a comparação entre as médias foi feita pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. De modo geral, constatou-se que os substratos comerciais apresentaram as menores porcentagens e velocidades de emergência, sozinhos ou em combinação com outros substratos, sendo que os maiores valores foram observados com o emprego de areia + vermiculita. Em termos gerais, os quatro substratos avaliados, isolados ou em combinação, não divergiram de forma relevante quanto ao crescimento das plântulas, nos 75 dias subsequentes à semeadura.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectBiribazeiropt_BR
dc.subjectFruteira nativapt_BR
dc.subjectPropagaçãopt_BR
dc.titleEmergência e crescimento inicial de plântulas de biribá (Rollinia mucosa (Jacq.) Baill) (Annonaceae) em diferentes substratos.pt_BR
dc.typeArtigo de periódicopt_BR
dc.date.updated2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroGerminaçãopt_BR
riaa.ainfo.id878770pt_BR
riaa.ainfo.lastupdate2011-02-24pt_BR
dc.contributor.institutionMARIA DAS GRACAS RODRIGUES FERREIRA, CPAF-RO; MAURICIO REGINALDO ALVES DOS SANTOS, CPAF-RO; Edna de Oliveira Silva, CCA-UFPB; Edilma Pereira Gonçalves, UFRPE; Edna Ursulino Alves, CCA-UFPB; Riselane de Lucena Alcântara Bruno, CCA-UFPB.pt_BR
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CPAF-RO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Emergenciaecrescimentoinicialbiriba.pdf315,53 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace