Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/881034
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorANJOS, M. H. G. dospt_BR
dc.contributor.authorAMANCIO, C. O. da G.pt_BR
dc.contributor.authorBANDUCCI JUNIOR, A.pt_BR
dc.contributor.authorLOPES, F.pt_BR
dc.contributor.otherMARCOS HENRIQUE GARCIA DOS ANJOS, UFMS; CRISTHIANE OLIVEIRA DA G AMANCIO, CNPAB; ÁLVARO BANDUCCI JUNIOR, UFMS; FÂNIA LOPES, IMASUL.pt_BR
dc.date.accessioned2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2011-04-10T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2011-03-16pt_BR
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.other57870pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/881034pt_BR
dc.descriptionO propósito deste trabalho é analisar o perfil socioeconômico dos pescadores artesanais dos municípios de Aquidauana e Anastácio / MS. Além dos coeficientes econômicos, levou-se em consideração a fala do pescador com respeito a temas relacionados ao seu contexto. Foram considerados 145 pescadores moradores destes municípios cadastrados no Instituto do Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul ? IMASUL, assumindo esse numero como representativo do total da comunidade de pescadores artesanais. Observou-se a tendência de que o pescador típico tenha em média 49,51 anos de idade, e não mais que a quarta serie do ensino fundamental. São na sua maioria homens, casados, na faixa entre 40 e 50 anos, sendo que mais da metade tem até dois filhos. Esse pescador é nascido na própria localidade, 43,05%, sendo ainda 75,69% nascidos no estado do Mato Grosso do Sul. Quanto à renda mensal, 66,5% ganham até um salário mínimo. Quanto à permanência dos filhos na profissão, apresentaram argumentos relacionados com as dificuldades da profissão e a falta de perspectiva de futuro, tanto no sentido econômico como ecológico. A maior queixa dos pescadores relaciona-se com a falta de acesso ao rio, a presença de turistas e as proibições de usos de petrechos como o anzol de galho. Notou-se na fala dos pescadores a grande oposição ao trabalho na cidade, onde a falta de estudo impossibilita a obtenção de rendimentos como os provenientes da pesca.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/30083/1/010RE.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: SIMPÓSIO SOBRE RECURSOS NATURAIS E SOCIOECONÔMICOS DO PANTANAL, 5., 2010, Corumbá, MS. Anais... Corumbá: Embrapa Pantanal: UFMS; Campinas: ICS do Brasil, 2010. 1 CD-ROM SIMPAN 2010.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Pantanal - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectPerfil socioeconômicopt_BR
dc.subjectPescadorespt_BR
dc.subjectArtisanal pishingpt_BR
dc.subjectPishermanpt_BR
dc.subjectPantanal and socio-economic profile.pt_BR
dc.titleAnálise do perfil socioeconômico dos pescadores profissionais artesanais dos municípios de Aquidauana e Anastácio/MS.pt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2019-04-30T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroPesca Artesanal.pt_BR
dc.subject.nalthesaurusPantanal.pt_BR
dc.format.extent2Não Paginado.pt_BR
dc.ainfo.id881034pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2019-04-30 -03:00:00pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPAP)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
010RE.pdf96,44 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace