Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/910079
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMARTINS, C. R.pt_BR
dc.contributor.authorJESUS JUNIOR, L. A. dept_BR
dc.contributor.authorCORREIA, R. C.pt_BR
dc.contributor.otherCARLOS ROBERTO MARTINS, CPATC; LUCIANO ALVES DE JESUS JUNIOR, CPATC; REBERT COELHO CORREIA, CPATSA.pt_BR
dc.date.accessioned2011-12-16T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2011-12-16T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2011-12-16T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2011-12-16pt_BR
dc.date.issued2011pt_BR
dc.identifier.other22683pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/910079pt_BR
dc.descriptionO cultivo do coqueiro é realizado em vários países, sendo que no Brasil é considerada uma frutífera de grande importância econômica e social em virtude da ampla variabilidade de produtos que podem ser obtidos com a sua exploração, além de desempenhar papel ecológico em ambientes fragilizados. Nos últimos anos no Brasil o cultivo de coco vem desencadeando transformações em termos econômicos e produtivos promovendo um novo arranjo geo-produtivo. O objetivo deste trabalho é contextualizar a evolução da cultura do coco no estado de Sergipe frente aos cenários produtivos da região Nordestina e Brasileira. A metodologia utilizada foi embasada na estatística descritiva como método de sintetizar uma série de valores, de 1990 a 2009, obtido através de órgão oficial brasileiro. No Brasil as maiores plantações e produções de coco se concentram na região do Nordeste. A cocoicultura no estado de Sergipe representa importante fonte de renda para muitos produtores, ocupando aproximadamente 42.000 mil ha, dos quais 80% estão localizados em área de baixada litorânea e tabuleiros costeiros. Atualmente é o estado com a segunda maior produção de coco no país e o terceiro em área plantada, destinado principalmente a produção de coco seco. Embora nos últimos anos haja uma redução de participação do estado de Sergipe em termos de área plantada com a fruta, observa-se que a contribuição do estado para a produção nordestina e brasileira aumentou substancialmente, graças ao incremento em produtividade. Fato este que demonstra a evolução tecnológica nos últimos 20 anos com a cultura do coqueiro. Mesmo assim o cenário geoeconômico e político do estado de Sergipe demonstram caráter de preocupação frente as transformações que se evidenciam, como expansão do cultivo de coco à outras regiões e, possivelmente na maior importação de coco beneficiado de outros países, que culminam no aumento de competitividade do setor.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/50565/1/1009-1.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL, 49., 2011, Belo Horizonte. Demografia e meio rural: população, políticas públicas e desenvolvimento. Belo Horizonte: Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, 2011.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Tabuleiros Costeiros - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectProdução de coco.pt_BR
dc.titleAnálise evolutiva da produção de coco no estado de sergipe frente ao crescimento da cultura no Nordeste e no Brasil.pt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2011-12-27T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroCoco.pt_BR
dc.ainfo.id910079pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2011-12-27pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPATC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
10091.pdf328,79 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace