Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/910525
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorVALE, I. dopor
dc.contributor.authorMIRANDA, I. S.por
dc.contributor.authorLACERDA, F. da C. B.por
dc.contributor.authorBISPO, C. J. C.por
dc.contributor.authorKATO, O. R.por
dc.contributor.otherIGOR DO VALE, UFRA; IZILDINHA SOUZA MIRANDA, UFRA; FERNANDO DA COSTA BRITO LACERDA, UFRA; CARLOS JOSÉ CAPELA BISPO, NATURA; OSVALDO RYOHEI KATO, CPATU.por
dc.date.accessioned2011-12-21T11:11:11Zpor
dc.date.accessioned2011-12-21T11:11:11Zpor
dc.date.available2011-12-21T11:11:11Zpor
dc.date.available2011-12-21T11:11:11Zpor
dc.date.created2011-12-21por
dc.date.issued2011por
dc.identifier.other45374por
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/910525por
dc.descriptionEste trabalho objetiva avaliar a regeneração espontânea após o uso de trituração mecanizada e manual em sistemas agroflorestais experimentais de dendê. O estudo foi desenvolvido duas áreas experimentais de cultivo de dendê em sistema agroflorestal com adubo verde, localizadas no município de Tomé-Açu, Estado do Pará, durante dois anos (2009-2010). Os tratamentos considerados foram: (1) a trituração da capoeria de forma mecanizada (TMEC) utilizando o triturador Tritucap e (2) a trituração de forma manual (TMAN). Como testemunhas foram consideradas as áreas remanescentes da capoeira original. O inventário da vegetação espontânea (altura < 1.5 metros) foi realizado em 12 subparcelas de 2 x 2 m (4 m²) distribuídas em cada área e tratamento. Nos dois anos a densidade da vegetação espontânea foi maior no TMEC, intermediária no TMAN e menor na CAP. A riqueza de espécies foi similar em todos os tratamentos. A similaridade entre os tratamentos foi de 55% em 2009 e 46% em 2010. A similaridade entre a capoeira e os tratamentos não foi maior que 19%. A mudança florística entre 2009 e 2010 é confirmada pela similaridade dentro dos tratamentos, entre os anos (TMEC: 41%; TMAN: 36%). A maioria das espécies importantes mudou ao longo dos anos. Os sistemas de trituração mostram ter potenciais bem similares, não havendo diferença florística entre eles. Entretanto a mudança na composição florística entre anos indica a necessidade de um monitoramento maior da vegetação espontânea.por
dc.description.uribitstream/item/50959/1/BII-303.pdfpor
dc.format1 CD-ROM.por
dc.languagept_BRpor
dc.language.isoporpor
dc.publisherIn: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS, 8., 2011, Belém, PA. Anais... Belém, PA: SBSAF: Embrapa Amazônia Oriental: UFRA: CEPLAC: EMATER: ICRAF, 2011.por
dc.relation.ispartofEmbrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)por
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectTritucappor
dc.subjectAnálise multivariadapor
dc.subjectMulchpor
dc.subjectCompetição herbáceapor
dc.subjectTipitambapor
dc.titleVegetação espontânea após o uso da trituração mecanizada e manual em sistemas agroflorestais.por
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)por
dc.date.updated2012-05-15T11:11:11Zpor
dc.description.notesEditores técnicos: Roberto Porro, Milton Kanashiro, Maria do Socorro Gonçalves Ferreira, Leila Sobral Sampaio e Gladys Ferreira de Sousa.por
dc.ainfo.id910525por
dc.ainfo.lastupdate2012-05-15por
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (CPATU)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BII303.pdf358,16 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace