Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/940369
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Soja - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2012
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: POMARI, A. F.
BUENO, A. F.
BORTOLI, S. A. de
FRUGERI, A. P.
BARBOSA, G. C.
FRANÇA, L. F. T. de
MANTOVANI, M. A. de M.
Additional Information: ALINE F. POMARI, USP; ADENEY DE FREITAS BUENO, CNPSO; SERGIO A. DE BORTOLI, UNESP Jaboticabal; ANA P. FRUGERI, FAFICP; GUSTAVO C. BARBOSA, UNIFIL; LUIS F. T. de FRANÇA, UNIFIL; MAICO A. de M. MANTOVANI, UNIFIL.
Title: Capacidade de dispersão de Telenomus remus em milho na safra de inverno.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 24., 2012, Curitiba. SEB-40 anos de avanços da Ciência Entomológica Brasileira: anais. [Curitiba]: SEB, 2012.
Language: pt_BR
Description: O objetivo deste trabalho foi avaliar o raio efetivo de ação da espécie T. remus em milho safrinha para controle da lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda. O experimento foi realizado em áreas experimentais da Embrapa-Soja na região de Londrina ? PR, em plantios de milho do cultivar Dekalb 390. Nestes plantios foram demarcados seis círculos concêntricos, a partir de um ponto central, com raios de 5, 10, 15, 20, 25 e 30m sendo, o experimento instalado na fase vegetativa V2/3. Em cada planta, foram colocados aproximadamente 100 ovos, sendo infestadas 8, 24, 40, 56, 72 e 88 plantas para cada círculo, respectivamente. Após a infestação artificial com os ovos, foi realizada apenas uma liberação de aproximadamente 150.000 adultos recém-emergidos de T. remus, no ponto central. Os ovos de S. frugiperda ficaram expostos ao parasitismo por 24h, quando então foram substituídos por novas posturas. Este processo ocorreu nos 4 dias seguintes a liberação. De forma análoga, foi considerada uma área testemunha, onde foi realizada apenas a infestação artificial. O delineamento foi de blocos casualizados, sendo duas áreas testes (com liberação do parasitoide) e uma área testemunha. A distância média de dispersão e a área de dispersão do parasitoide, na cultura do milho, foram determinadas pelo modelo proposto por Dobzhansky e Wright. Ao longo do tempo houve um aumento na área de dispersão do parasitoide. Nas 24; 48; 72 e 96h foram verificadas áreas de dispersão em 274; 410; 412 e 429m2, resultando em um raio de ação médio de 15; 19; 19 e 19m. Assim, o número de pontos de liberação do parasitoide, determinado através do raio efetivo de dispersão, deve ser de 27 pontos por ha para que haja uma distribuição homogênea na área tratada e, consequentemente, maior parasitismo e maior eficiência no controle da praga por T. remus.
Thesagro: Praga de planta
Controle biológico
Milho
NAL Thesaurus: Biological control
Plant pests
Corn
Data Created: 2012-11-23
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPSO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
52.pdf78,51 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace