Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/940631
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Soja - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Date Issued: 2012
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: AMARO, J. T.
NEVES, P. M. O. J.
BUENO, A. de F.
FRANÇA, L. F. T. de
MANTOVANI, M. A. de M.
Additional Information: JUNIO T. AMARO, UEL; PEDRO M. O. J. NEVES, UEL; ADENEY DE FREITAS BUENO, CNPSO; LUIZ F. T. DE FRANÇA, UNIFIL; MAICO A. DE M. MANTOVANI, UNIFIL.
Title: Repelência de entomopatógenos a Telenomus remus em condições de laboratório.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 24., 2012, Curitiba. SEB-40 anos de avanços da Ciência Entomológica Brasileira: anais. [Curitiba]: SEB, 2012. Disponível em: <http://www.cbe2012.com.br/_apps/anais_web/trabalhos_selecionar.php>.
Language: pt_BR
Description: A utilização de agentes de controle biológico concomitantemente pode provocar interações de diferentes naturezas em ambos. O objetivo deste estudo foi de observar a repelência com e sem chance de escolha entre entomopatógenos e T. remus. Com chance de escolha os tratamentos foram: Baculovirus AEE (Baculovirus anticarsia-VPNAg), Thuricide (Bacillus thuringiensis var. kurstaki), Agree (B. thuringiensis var. aizawai) e Dipel WG (B. thuringiensis var. kurstaki), Boveril EP (Beauveria bassiana), Metarril EP (Metarhizium anisopliae), Trichodermil EP (Trichoderma harzianum), testemunha positiva Lorsban 480BR (clorpirifós) e sem chance de escolha adicionou-se testemunha sem tratamento (negativa). No estudo com chance, em gaiolas, foram oferecidas a T. remus cartelas com ovos de Spodoptera frugiperda, uma tratada e outra não tratada, no primeiro e segundo dia após a emergência dos adultos (DAE). Sem chance, somente cartelas tratadas foram oferecidas em 1 e 2DAE. Avaliou-se: porcentagem de parasitismo (parasitismo) e de parasitóides emergidos (viabilidade). Sem chance de escolha, 1DAE clorpirifós inibiu, com parasitismo de 9,33% e viabilidade de 13,33% e 2DAE clorpirifós 0% e Dipel 13,33% com menor parasitismo. Aos 2DAE maiores parasitismos foram observados para Metarril, 88,76%, Boveril 85,79%, e Trichodermil 86,17% e maiores viabilidades para Baculovirus 98,44%, Dipel 91,34% e Trichodermil 91,29%. Com chance, 1DAE o parasitismo diferiu em: Baculovirus não pulverizado (NP) 71,80% e pulverizado (P) 98,97%, Thuricide NP 90,23% e P 96,47%, Agree NP 93,36% e P 73,18%, Trichodermil NP 85,44% e P 100%, clorpirifós NP 84,22% e P 20,77%. A viabilidade foi: de 96,23% Baculovirus NP e 87,58% P; 97,82% para clorpirifós NP e 3,13% P. Aos 2DAE o parasitismo foi: 50,41% Agree NP e 73,67% P; 91,31% Boveril NP e 98,57%P: 92,26% clorpirifós NP e 0,16% P. Os demais tratamentos e condições não diferiram.
Thesagro: Controle Biológico.
Data Created: 2012-11-27
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPSO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
repelencia.adeney.pdf11,08 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace