Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/942278
Research center of Embrapa/Collection: Embrapa Soja - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Issue Date: 2012
Type of Material: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Authors: SILVA, E. H. da
CARVALHO, M. P. de
OLIVEIRA, S. T. de
LINS, L. C. P.
ALMEIDA, G. Q. de
HIROSE, E.
Additional Information: EDER HENRIQUE DA SILVA, UNI-ANHANGUERA; MARCELO P. DE CARVALHO, UNI-ANHANGUERA; SUELLEN T. DE OLIVEIRA, UNI-ANHANGUERA; LUIS CARLOS PINHEIROS LINS, UNEMAT; GABRIELLA Q. DE ALMEIDA, UFG, CAMPUS SAMAMBAIA; EDSON HIROSE, CNPSO.
Title: Avaliação do dano causado pelo percevejo marrom Euschistus heros (Heteroptera: Pentatomidae) em soja.
Publisher: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 24., 2012, Curitiba. SEB-40 anos de avanços da Ciência Entomológica Brasileira: anais. [Curitiba]: SEB, 2012. Disponível em: <http://www.cbe2012.com.br/_apps/anais_web/trabalhos_selecionar.php>.
Language: pt_BR
Keywords: Dano.
Description: O percevejo marrom Euschistus heros (Heteroptera: Pentatomidae) é, atualmente, o principal percevejo nas lavouras de soja por todo o país. Adultos e ninfas sugam as vagens, danificando os grãos, e em densidades elevadas causam perdas de rendimento e afetam qualidade da semente. O objetivo deste trabalho foi avaliar os danos causados por E. heros em soja nos estádios R3 (início da formação das vagens), R5 (início do enchimento de grãos) e R6 (vagens cheias), com diferentes níveis de infestação. O experimento foi conduzido com a cultivar de soja BRS 7860 RR (crescimento determinado), na safra 2011-12, na área experimental da Embrapa Arroz e Feijão, em Santo Antonio de Goiás - GO. No final da fase vegetativa, gaiolas de contenção de 1 x 1 x 1 m, foram instaladas no campo. O delineamento experimental foi fatorial, com infestação em três estádios reprodutivos da cultura (R3, R5 e R6), cinco níveis populacionais (0, 1, 2, 4 e 8 percevejos adultos.gaiola-1), e quatro repetições. Os percevejos foram criados em laboratório e infestados nos estádios (R3, R5 e R6) e mantidos até o R8. Por ocasião da colheita foi avaliada a produtividade da soja. Os dados foram submetidos à análise de variância, e as médias ao teste de Tukey (p < ou = 0,05). Os tratamentos (estádio-infestação) com as respectivas produtividades (kg.ha -1 ) foram: R3-0 - 2788,51; R3-1 - 2402,54; R3-2 - 2672,46; R3-4 - 2379,01; R3-8 - 2526,80; R5-0 - 2773,95; R5-1 - 3196,68; R5-2 - 2827,73; R5-4 - 2785,31; R5-8 - 2878,52; R6-0 - 2866,94; R6-1 - 2709,79; R6-2 - 2723,72; R6-4 - 2387,63; R6-8 - 2781,05. Com relação a produtividade não houve diferenças significativas entre os níveis de infestação, nas condições desse ensaio.
Year: 2012-12-12
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CNPSO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
trabalho3.pdf55,32 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace