Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/950746
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorSALOMÃO, R. P.por
dc.contributor.authorBRIENZA JUNIOR, S.por
dc.contributor.authorSANTANA, A. C.por
dc.contributor.otherRafael Paiva Salomão, MPEG; SILVIO BRIENZA JUNIOR, CPATU; Antônio Cordeiro Santana, UFRA.por
dc.date.accessioned2013-02-22T11:11:11Zpor
dc.date.available2013-02-22T11:11:11Zpor
dc.date.created2013-02-22por
dc.date.issued2012por
dc.identifier.other46949por
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/950746por
dc.descriptionNa Amazônia, vários empreendimentos minerários estão situados em unidades de conservação. A restauração ecológica após a lavra do minério abrange vários atributos. Entre esses, destaca-se a necessidade de o ecossistema restaurado conter um conjunto de espécies-chave de ocorrência no ecossistema de referência e, dessa forma, proporcionar estrutura apropriada de comunidade, além de ser constituído do maior número possível de espécies nativas. Objetivou-se, neste trabalho, analisar um índice fitossociológico e socioeconômico (IFSE), obtido por técnicas de análise multivariada. O modelo envolveu seis variáveis quantitativas (abundância, frequência, dominância, biomassa, valor comercial da madeira e quantidade de produtos florestais não madeireiros) e igual número de variáveis qualitativas. Em uma área de floresta ombrófila de 1.321 ha, foram amostradas 315 parcelas de 0,25 ha, em que todos os indivíduos com DAP > 10 cm foram identificados e mensurados. Foram registrados 36.298 indivíduos, distribuídos em 898 espécies, abrangendo 62 famílias. As espécies foram ranqueadas através do índice proposto em três categorias de prioridade fitossociológica e socioeconômica (alta, média e baixa). A adequação da análise fatorial foi determinada pelos testes de Bartlett e KMO. O teste de Bartlett avaliou a significância geral da matriz de correlação a 1% de probabilidade. O teste KMO indicou que as variáveis estão correlacionadas, e o modelo fatorial apresentou nível muito bom de adequação aos dados. O uso de análise multivariada foi estatisticamente validado para o emprego do IFSE. Entre as 898 espécies analisadas, 25 foram selecionadas como prioritárias (categorias alta e média), sendo reconhecidas como espécies-chave. Foi estimada a densidade de plantio dessas espécies para recuperação de áreas mineradas na Amazônia, com condições biológicas e ambientais semelhantes às relatadas neste estudo. A distribuição diamétrica das espécies-chave foi analisada e comparada com a da floresta inventariada. O estágio sucessional das espécies-chave foi também analisado.por
dc.description.uribitstream/item/77144/1/01.pdfpor
dc.languagept_BRpor
dc.language.isoporpor
dc.publisherRevista Árvore, v. 36, n. 6, p. 989-1008, 2012.por
dc.relation.ispartofEmbrapa Amazônia Oriental - Artigo em periódico indexado (ALICE)por
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectFloresta primáriapor
dc.subjectAnálise multivariadapor
dc.subjectRestauração florestalpor
dc.titleAnálise da florística e estrutura de floresta primária visando a seleção de espécies-chave, através de análise multivariada, para a restauração de áreas mineradas em unidades de conservação.por
dc.typeArtigo em periódico indexado (ALICE)por
dc.date.updated2015-04-08T11:11:11Zpor
dc.ainfo.id950746por
dc.ainfo.lastupdate2015-04-08por
dc.identifier.doihttp://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622012000600001por
Aparece nas coleções:Artigo em periódico indexado (CPATU)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
01.pdf574,12 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace