Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/951861
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorFRANCO, G. B.pt_BR
dc.contributor.authorBETIM, L. S.pt_BR
dc.contributor.authorMARQUES, E. A. G.pt_BR
dc.contributor.authorGOMES, R. L.pt_BR
dc.contributor.authorCHAGAS, C. da S.pt_BR
dc.contributor.otherUNEB; UFV; UFV; UESC; CESAR DA SILVA CHAGAS, CNPS.pt_BR
dc.date.accessioned2013-03-19T23:36:01Z-
dc.date.available2013-03-19T23:36:01Z-
dc.date.created2013-03-01pt_BR
dc.date.issued2012pt_BR
dc.identifier.other17277pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/951861pt_BR
dc.descriptionEsta pesquisa teve como objetivo a criação do Índice de Qualidade da Água em Resposta à Fragilidade Ambiental (IQAFA) e a determinação dos níveis de fragilidade ambiental da Bacia do Rio Almada, Bahia. O mapa de fragilidade ambiental foi obtido a partir da integração das características: precipitação pluviométrica, substrato rochoso, declividade, solo e seu uso e ocupação, por meio de álgebra de mapas em ambiente de Sistema de Informação Geográfica na escala de 1:100.000. Foi classificado em cinco graus de fragilidade: Muito baixo, Baixo, Médio, Alto e Muito alto. As maiores fragilidades incluem as áreas urbanas, os sedimentos arenosos expostos na zona de praia, manguezais e bolsões degradados da planície costeira localizados na porção Leste e as áreas de pastagem e solo exposto nas porções Oeste da bacia. Nas classes que apresentaram fragilidade baixa estão incluídas as rochas do embasamento cristalino, recobertas pela floresta de mata atlântica e da cabruca. Os parâmetros utilizados (temperatura, condutividade elétrica, pH, sólidos totais e turbidez) para o cálculo do IQAFA mostraram-se adequados, uma vez que as alterações da qualidade das águas refletiram a presença de áreas com menor ou maior valor de fragilidade ambiental, tornando-se uma ferramenta importante na compreensão da situação da qualidade da água frente a essa fragilidade. Ressalta-se que os resultados obtidos para o IQAFA foram validados por meio de correlações estatísticas com a fragilidade baixa e alta.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/77716/1/Relacao-qualidade-da-agua-e-fragilidade-ambiental-da-Bacia-do-Rio-Almada.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherRevista Brasileira de Geociências, v. 42, n. 1, p. 114-127, 2012.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Solos - Artigo em periódico indexado (ALICE)pt_BR
dc.subjectUso e ocupação do solopt_BR
dc.subjectPlanejamento ambientalpt_BR
dc.subjectBacia do Rio Almada.pt_BR
dc.titleRelação qualidade da água e fragilidade ambiental da Bacia do Rio Almada, Bahia.pt_BR
dc.typeArtigo em periódico indexado (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2013-03-19T23:36:01Zpt_BR
dc.subject.thesagroSistema de Informação Geográfica.pt_BR
dc.ainfo.id951861pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2013-03-19pt_BR
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPS)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RelacaoqualidadedaaguaefragilidadeambientaldaBaciadoRioAlmada.pdf3,47 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace