Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/971399
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorASSIS, G. M. L. dept_BR
dc.contributor.authorSILVA, R. A.pt_BR
dc.contributor.authorAZEVEDO, H. N.pt_BR
dc.contributor.otherGISELLE MARIANO LESSA DE ASSIS, CPAF-AC; UNINORTE; UNINORTE.pt_BR
dc.date.accessioned2013-11-18T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2013-11-18T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2013-11-18pt_BR
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.other24756pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/971399pt_BR
dc.descriptionApesar de haver cultivares registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, ainda não constam nas Regras para Análise de Sementes as instruções para o teste de germinação em A. pintoi. Este trabalho teve como objetivo avaliar curvas de germinação de sementes de A. pintoi cv. BRS Mandobi, com o intuito de subsidiar a recomendação do número de dias necessários para o teste de germinação desta espécie. Foram realizadas contagens diárias do número de sementes (com a vagem) germinadas, até os 28 dias após a semeadura, em sementes imersas anteriormente em solução de etefom a 0,3% por 16 horas. Os testes de germinação ocorreram aos 0, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 meses após a colheita, sendo realizadas quatro repetições de 50 sementes cada. O início da germinação ocorreu, em média, em 5,4 ± 0,8 dias. O período para verificação da última germinação foi de 24,4 ± 3,3 dias, com mínimo de 20 e máximo de 27 dias. O tempo médio de germinação foi de 9,4 ± 0,8 dias. A porcentagem final de germinação foi de 67,0 ± 17,5%, com mínimo de 31,5% (logo após a colheita) e máximo de 81,0% (8 e 10 meses após a colheita). Apesar de ocorrer germinação de novas sementes até 27 dias após o início do teste, verificou-se pelas curvas de germinação, que o incremento após os 21 dias foi baixo, com média de 1,8 ± 1,7%, com mínimo de 0,0% e máximo de 4,4%. Por outro lado, o incremento na germinação entre os 14 e 21 dias foi de 8,0 ± 7,8%, com mínimo de 2,6% e chegando ao valor máximo de 22,8%. Em todas as avaliações foram encontradas sementes dormentes entre as não germinadas, variando de 50,0% (logo após a colheita) até 6,0% (aos 12 meses). Essas sementes não responderam ao tratamento com etefom, indicando a necessidade de se aprimorar o método para superação da dormência, principalmente logo após a colheita. Conclui-se que os testes para germinação de sementes de amendoim forrageiro devem ser realizados por um período de 21 dias, sendo a primeira contagem realizada aos nove dias.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/92922/1/24756.PDFpt_BR
dc.format1 CD-ROM.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherInformativo Abrates, Londrina, v. 23, n. 2, ago. 2013.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Acre - Resumo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.subjectAmendoim forrageiropt_BR
dc.subjectSementes.pt_BR
dc.titlePeríodo para condução do teste de germinação em sementes de amendoim forrageiro (Arachis pintoi).pt_BR
dc.typeResumo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2015-11-24T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroDormênciapt_BR
dc.subject.thesagroLeguminosa Forrageira.pt_BR
dc.subject.nalthesaurusArachis pintoi.pt_BR
dc.description.notesEdição especial do XVIII Congresso Brasileiro de Sementes.pt_BR
dc.ainfo.id971399pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2015-11-24pt_BR
Appears in Collections:Resumo em anais de congresso (CPAF-AC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
24756.PDF2,75 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace