Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/973340
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorBRAZ, E. M.pt_BR
dc.contributor.authorSCHNEIDER, P. R.pt_BR
dc.contributor.authorMATTOS, P. P. dept_BR
dc.contributor.authorTHAINES, F.pt_BR
dc.contributor.authorSELLE, G. L.pt_BR
dc.contributor.authorOLIVEIRA, M. F. dept_BR
dc.contributor.authorOLIVEIRA, L. C.pt_BR
dc.contributor.otherEVALDO MUNOZ BRAZ, CNPF; PATRICIA POVOA DE MATTOS, CNPF.pt_BR
dc.date.accessioned2015-02-19T09:24:06Z-
dc.date.available2015-02-19T09:24:06Z-
dc.date.created2013-12-10pt_BR
dc.date.issued2012pt_BR
dc.identifier.other51615pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/973340pt_BR
dc.descriptionO incremento de uma floresta sob uma exploração madeireira depende não apenas do ritmo de crescimento das espécies como também da distribuição diamétrica remanescente que deverá permanecer pós corte. O trabalho avaliou, mediante simulação, a estrutura diamétrica remanescente de um talhão de floresta ombrófila no estado do Amazonas, visando à garantia de ter incremento que recupere a extração. A simulação do crescimento da floresta pós-exploração, respeitando a taxa calculada e a estrutura, permitiram um incremento que pode recuperar o volume comercial inicial durante o ciclo considerado (25 anos). Observouse nas simulações que a remoção de todo volume comercial disponível das espécies estudadas impede a recuperação da floresta no ciclo considerado. Observou-se também que as classes diamétricas comerciais remanescentes (acima do centro de classe de 45 cm) são responsáveis por 81 % do incremento necessário para recuperação do volume comercial removido. Identificou-se um ponto ótimo de classe diâmetro a ser mantida na floresta, acima do qual o retorno do volume comercial é nulo. O ponto crucial da recuperação do volume extraído é o potencial de incremento da estrutura que deve permanecer no compartimento.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/100253/1/2013-API-ManejoEstrutura.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherCiência Florestal, Santa Maria, RS, v. 22, n. 4, p. 787-794, out./dez. 2012.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Florestas - Artigo em periódico indexado (ALICE)pt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectManejo de florestas tropicaispt_BR
dc.subjectIntensidade de cortept_BR
dc.subjectIncrementopt_BR
dc.subjectTropical forest managementpt_BR
dc.subjectCutting intensitypt_BR
dc.subjectIncrementpt_BR
dc.titleManejo da estrutura diamétrica remanescente de florestas tropicais.pt_BR
dc.typeArtigo em periódico indexado (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2015-02-19T09:24:06Zpt_BR
dc.ainfo.id973340pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2015-02-18pt_BR
Appears in Collections:Artigo em periódico indexado (CNPF)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013APIManejoEstrutura.pdf444,4 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace