Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/975112
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorPEREIRA, V. A.pt_BR
dc.contributor.authorMENDES, A. N. G.pt_BR
dc.contributor.authorCARVALHO, C. H. S. dept_BR
dc.contributor.authorSCALCO, M. S.pt_BR
dc.contributor.authorOLIVEIRA, M. H. DE A.pt_BR
dc.contributor.authorSILVA, V. A. dapt_BR
dc.contributor.authorVIANA, M. T. R.pt_BR
dc.contributor.otherVINÍCIUS ALVES PEREIRA, UFLA; ANTONIO NAZARENO GUIMARÃES MENDES, UFLA; CARLOS HENRIQUE S DE CARVALHO, SAPC; MYRIANE STELLA SCALCO, UFLA; MARIO HENRIQUE DE ÁVILA OLIVEIRA, UFLA; VIRGÍLIO ANASTÁCIO DA SILVA, UFLA; MARIANA THEREZA RODRIGUES VIANA, UFLA.pt_BR
dc.date.accessioned2014-01-07T11:11:11Zpt_BR
dc.date.available2014-01-07T11:11:11Zpt_BR
dc.date.created2014-01-07pt_BR
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.other829pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/975112pt_BR
dc.descriptionA irrigação do cafeeiro tem se tornado prática cada vez mais frequente e necessária, uma vez que a cafeicultura tem migrado para regiões antes consideradas não aptas ao cultivo do café. Mesmo em regiões consideradas aptas quanto a deficiência hídrica como a região do sul de Minas, o uso da irrigação vem se tornando prática crescente. Porém, ainda são escassos os estudos sobre a adaptabilidade de cafeeiros provenientes de embriogênese somática a irrigação em condições de campo. Dessa maneira o objetivo desse trabalho foi determinar os níveis adequados de reposição de água de irrigação para cafeeiros oriundos de mudas propagadas por embriogênese somática. O experimento foi instalado no setor de cafeicultura da Universidade Federal de Lavras, onde foram plantadas mudas de Siriema, clone 03 resistente a ferrugem e ao bicho mineiro. O experimento foi instalado em blocos casualizados, com quatro repetições e seis tratamentos. Os tratamentos foram compostos de seis lâminas de irrigação baseadas em frações do Kc, constituídas de 0,4 (T2); 0,7 (T3); 1,0 (T4); 1,3 (T5); 1,6 (T6) e não irrigado (T1). Sendo aplicadas 75,22; 131,63; 188,05; 244,46 e 300,88 mm respectivamente aos tratamentos T2, T3, T4, T5 e T6. Foram avaliados durante o período de um ano após a implantação da lavoura a altura e o diâmetro de copa dos cafeeiros, sendo a parcela constituída por oito plantas e avaliada as seis plantas centrais. Os resultados mostraram que as parcelas irrigadas apresentaram aumento do Índice de área foliar (IAF) até uma lâmina máxima de 225,25 mm, correspondente a fração de 1,2 do Kc. Este crescimento correspondeu a 1,46 m².m-2 do IAF, cerca de 43,13% a mais que as parcelas não irrigadas.pt_BR
dc.description.uribitstream/item/94799/1/Manejo-de-irrigacao-para-cafeeiros.pdfpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherIn: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 8., 2013, Salvador. Sustentabilidade e inclusão Social. Brasília, DF: Embrapa Café, 2013.pt_BR
dc.relation.ispartofEmbrapa Café - Artigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.titleManejo de irrigação para cafeeiros propagador por embriogênese somáticapt_BR
dc.typeArtigo em anais de congresso (ALICE)pt_BR
dc.date.updated2014-01-07T11:11:11Zpt_BR
dc.subject.thesagroPropagação vegetativapt_BR
dc.subject.thesagroMudapt_BR
dc.ainfo.id975112pt_BR
dc.ainfo.lastupdate2014-01-07pt_BR
Appears in Collections:Artigo em anais de congresso (SAPC)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Manejodeirrigacaoparacafeeiros.pdf152,93 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open

FacebookTwitterDeliciousLinkedInGoogle BookmarksMySpace